Vida, por Leandro Campos Alves.

Vida, por Leandro Campos Alves.

Vida.

 

Não sei se vivo a vida,

ou se é ela que vive em mim,

sendo apenas minha grande amiga,

ou quem sabe outrora,

minha própria inimiga.

 

Sou instrumento de seus desejos,

que sendo ela moleca, e sorrateira,

algumas vezes se faz de zombeteira.

 

Acordo em minutos e vejo,

que também tenho desejos.

Porém a vida corriqueira,

mim leva em seus braços,

deixando meu ser no caminho

de seus entre laços.

 

Mostrando ser ela,

não só aquela companheira,

mas sim...

Dona de minha reles alma,

sendo a senhora verdadeira,

de minha vida estradeira,

neste mundo abstrato,

de nossos próprios atos.

 

Vida bem vivida,

ou apenas construída.

Ela tem os seus encantos,

impõe medo aos profanos.

 

Mas é ela grande amiga,

e sabe à hora até de nossa partida.

Penso em sonhos hilariantes,

e vejo a vida erguida,

na base de minha história,

que deixo na minha memória.

 

Penso e reflito firme,

Sou eu que vivo a vida,

ou a vida que vive em mim.

Assim levo o meu viver,

até o fim do meu ser. 

Leandro Campos Alves.

Poema da antologia Além do Olhar.

ISBN: 978-85-8290-025-3

2014.

 

 


 

Obrigado aos meus amigos leitores pela visita, e fiquem com Deus.

 

 
Número de páginas: 103 

Edição: 1(2015) 

Formato: A5 148x210 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura c/ orelha 

Tipo de papel: Offset 90g
 

Meus Poemas.

Peteca do Destino.

foto pixabay dominio publico         Peteca do Destino.         Quando te ganhei, esposei em meus lábios o sorriso. E da surpresa da vida, então chorei.   Alegria em ter-lhe em minhas mãos, logo o seu feltro abriu. O aroma de sua juventude exalou-se pelo...

As Mãos que Afagam, por Leandro Campos Alves.

As Mãos que Afagam.     São minhas aquelas mãos. As mãos que afagam o seu sono, que segura e protege seu tombo.   São minhas aquelas mãos. As mãos que apoiam seu caminho, que acalenta seu coração, que te dá o porto...

Torre de Babel, por Leandro Campos Alves.

Torre de Babel.       O vento é o nosso polinizador de vidas, o responsável por levar a vida, dar a vida, conduzir a vida.   E com o seu veludo e delicado aconchego, ele leva sementes e pedalas aos quatro cantos do mundo.    E hoje como vento, lembro-me dos...
<< 11 | 12 | 13 | 14 | 15