Valores.

Valores.

Meu peito arde.

Arde pela vida confusa,

pelos amores conturbados,

pelos valores trocados.

 

Meu peito arde.

Pela desilusão,

pela falsa paixão.

Ou quem sabe?

Arde pela minha própria agonia,

ao ver o mundo se perdendo,

e tudo se corrompendo.

 

Valores hoje são trocados,

o que um dia foi certo,

hoje vejo que é errado.

Por outro lado,

o errado é infame,

parece normal e aplausível,

certo e compreensivo.

 

Mundo de desencontros,

mundo de sonhos perdidos,

mundo de amores trocados,

mundo que não conheço mais.

 

Será que o amor significa ódio?

E odiar é o mesmo que amar?

 

 

Hoje desabafo nas letras,

desabafo em lágrimas,

desabafo em minha solidão.

 

Meu peito arde.

Meus sonhos morrem,

e o mundo continua seu ciclo.

 

Porém onde estão os valores da vida?

Valores que estão morrendo pela evolução do homem,

valores são sepultados e com eles,

a alegria parte.

 

 

 

Meu peito hoje está em luto,

meus sonhos mortos pelos valores do mundo.

Minhas lágrimas caem pela falta da boêmia.

Mas ainda acredito que os valores renascerão,

e descobriremos o verdadeiro sentido de amar.

E dos galanteios a corte dos amores,

a serem conquistados com ramalhete de flores.

 

 

Mas hoje meu peito arde...

 

Leandro Campos Alves.

 

 
 
 
Número de páginas: 103 

Edição: 1(2015) 

Formato: A5 148x210 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura c/ orelha 

Tipo de papel: Offset 90g
 

Meus Poemas.

Soneto Tempo

O tempo abranda a dor, cura o corte, cicatriza as lembranças, acalenta a morte, nos enche de esperanças.   O tempo abranda o passado, cura a ferida, apaga o que era errado, harmoniza o presente da vida.   O tempo é o único remédio, que abranda a desilusão, e faz renascer uma nova...

Declarações.

  Se um dia eu amei... Se um dia te conquistei... Digo a ti amor eterno, que minhas declarações são simples palavras, e não mostram o tamanho de meu sentimento.   Como frases jogadas ao vento, elas percorrem espaços, territórios e sonhos. Voam nas asas das promessas, mesmo assim, não...

Noites eternas.

  O silêncio da noite na cidade não será mais o mesmo. As ruas não terão na madrugada, o sons de seus passos solitários. A noite não trovoará a voz da sua amizade. O cambaleio do solitário sonhador, não terá mais sua maestria.   Nossas noites ficarão mais frias, as lembranças serão...

Fogão a Lenha.

Foto arquivo pessoal Gisele C. de Souza   Lembro claramente, daquele fogão de lenha. vermelho reluzente, com chapa negra e bem quente. Sua fumaça sai calmamente, pela chaminé que ficava a sua frente.   Construído sobre o chão liso, verde era a cor daquele piso.   Em pé ao seu...

Despedida.

Sonhei com a morte, acordei para vida. Vi sonhos morrerem com tempo, mas vi o tempo ressurgir em mim.   Com pensamento sempre no futuro, esqueci de viver o presente. Passei a sonhar com o passado, e a vida? Simplesmente passava.   Vi amigos partirem, vi a morte de perto, e...
<< 3 | 4 | 5 | 6 | 7 >>

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!