Valdeck Almeida de Jesus

Valdeck Almeida de Jesus
A chegada de Michel Temer no Inferno
 
Batizado com esse nome
É mesmo para temer,
Pois parece aquele verbo
Criado pra estremecer
Todo mundo se amedronta
Somente de ouvir dizer.
 
Ele foi para o inferno
Buscar força pra mandar
Acabou com o capeta
Destruiu tudo por lá
Em Brasília fez morada
Para tudo esculhambar.
 
Duelou com Satanás
Pra ver quem era o pior
Quem fazia mais maldades
Bater no povo sem dó;
Em falando de maldade
Nosso Temer é bem melhor.
 
Ele entrou para a política
Aliado com o demônio
Casou-se com a mentira
Esse safado medonho
Pra dar golpe no país
E fazer um pandemônio.
 
O capeta desistiu
De lutar com o temeroso
Porque perdeu na labuta
Com o chifrudo tinhoso
E deixou o cão da porra
Morder o povo medroso.
 
Mas quem disse que o bicho
Parou de fazer maldade?
Aproveitou que o capeta
Deixou a nossa cidade
Pra castigar cada gente
Fazendo perversidade.
 
Primeiro tomou o cargo
Pra ser nosso presidente
Botou pra fora a eleita
Socou-lhe um murro nos dentes
Sentou na cadeira dela
E caminhou para frente.
 
No cargo ele amuou
Ficou sentado e fingido
Fazendo cara de bobo
Porque tava protegido
Pela turba alucinada
Que lhe apoiou com mugido.
 
Dançou na cara da gente
E fez cara de mocinho
Acenou com a mão de figa
Ficou falando sozinho
Mas aos poucos se mostrou
Um safado de vizinho.
 
Primeiro foi ao Congresso
E comprou a cada um
Deu dinheiro a deputado
E também guardou algum
Deu um pouco a senador
Amordaçou um a um...
 
Chamou logo empresários
Pra comandar a nação
Ministério para quem
Foi comer em sua mão
Fez contrato com a mídia
Pra nunca lhe dar um não.
 
Nossa justiça comprada
Fez pra ele um grande altar
Disse que o bicho era bom
Que não ia processar
Mesmo se o cabra roubasse
40 bi pra guardar...
 
Temer foi denunciado
Em delação premiada
Mas o bicho é tinhoso
De tudo ele fez piada
Não pode ser processado
Está com a boca trancada.
 
Buscou gente do país
Pra também lhe apoiar
Pagou caro por abraço
E quem pudesse beijar
Acabou com a oposição
Fez todo mundo calar...
 
Chegou pro aposentado
E cortou os seus direitos
Abaixou o seu salário
Meteu a mão no seu peito
Tomou a senha da conta
Foi assim e desse jeito.
 
Quem quiser viver de boa
No tempo que aposentar
Vai trabalhar até morrer
Mas depois pode voltar
Pede logo exumação
Para poder desfrutar.
 
Quem pagou por trinta anos
Não pode nem reclamar
Porque se fala, apanha;
Não pode nem resmungar
A polícia baixa o cacete
Para o povo se calar.
 
40 anos é pouco
Pra matar de trabalhar
Pois o povo aqui é forte
E aguenta se danar
Gente velha tem é força
Tem mesmo que se lascar.
 
Chamou o trabalhador
E aumentou sua jornada
Trabalho agora é assim:
Se não quiser, não tem nada;
Trabalhar só por comida
E não reclama, cambada!
 
Quem quiser um bom emprego
Que viaje pro exterior
Pois na terra do Brasil
Vamos tocar o terror
Nossa terra é para poucos
Pra quem gosta de horror.
 
Hora extra agora é grátis
Não tem mais décimo terceiro
Acabou FêGêTêESSE
Acabou o teu dinheiro
Afundou I-ENE-ESSE-ESSE
Para quem é brasileiro.
 
A Petrobras foi vendida
Não temos nem o pré-sal
Quem vai cavar nosso chão
É gente de fora e tal
Brasileiro não tem vez
Se não gostar, cai no pau.
 
Quem quiser um bom emprego
Vai ter muito que esperar
Pois nossa grana é investida
Pra banqueiro se safar
Quanto mais o povo sofre
Melhora as contas de lá.
 
Escola agora é paga
Quem quiser vai estudar
Mas a grana vem na frente
Só estuda quem pagar
Quem reclama toma uma bifa
Pois não pode reclamar.
 
Aeroporto vendido:
Se você quiser voar
Vai pagar uma boa grana
Somente para entrar
Se entrar no avião
Mais dinheiro vai mostrar.
 
As estradas são privadas:
Se tu quiser caminhar
Dirigir ou dar uma volta
Pedágio vai encontrar
Se não paga ao empresário
Tu não pode circular...
 
Cada porto não é nosso
Cada um já foi vendido
Os navios que vão chegando
Deixando o povo falido
Leva grana e riqueza
Pra país desenvolvido.
 
Lei Kandir é passaporte
Pra roubar nosso país
- Chega aí, minha amizade,
Nós temos um chamariz,
Leva tudo sem pagar,
Arranca até a raiz.
 
Aviação abriu o campo
Pra quem quiser investir
Vem gente do exterior
Ganhar dinheiro aqui
Já tá tudo liberado
Carregue tudo daqui.
 
Se tu quer um hospital
Vai te lascar no inferno
Não tem mais atendimento
Pois tu não tá no caderno
Só entra quem tem dinheiro
É o sistema moderno.
 
Escola de graça acabou
Vai falar com satanás
Faculdade se fechou
Merenda não temos mais
E se tu achou ruim
Pega a fila, lá atrás.
 
O Ciência Sem Fronteira
Não tem lugar pra você
Aqui não tem mais frescura
Acabou-se o saber
É melhor tu ficar burro
E a mim obedecer...
 
O terreno do Brasil
Agora é do estrangeiro
Se tu quiser um pedaço
Me pague muito dinheiro
Pois vendi tudo pra gringo
Porque chegaram primeiro.
 
Mata pobre e mata negro
Esculhamba com polícia
Não deixa nada na pista
Pra não sair na notícia
E mesmo que tenha prova
Já compramos a justiça.
 
Toda água do planeta
Nós vamos mandar secar
Trazer deserto ao país
Para o povo se lascar
Quem quiser beber um gole
Só bebe se me pagar.
 
As florestas toca fogo
Planta grama e bota boi
Entrega pra fazendeiro
O tempo bom já se foi
Quem entrar leva uma bala
Na testa, cara ou no “oi”.
 
Mata índio e mata pobre
Quem quiser plantar comida
Porque a terra é minha
É parte da minha vida
Não deixo pobre entrar
Não entra gente sofrida.
 
Vou vender cada terreno
Leva quem tiver dinheiro
Brasileiro não tem vez
Vou vender pro estrangeiro
Sou o dono disso tudo
Aqui eu cheguei primeiro.
 
Doente e necessitado
Vou botar pra se lascar
Aposentar essa gente
Eu mesmo não vou deixar
Quem quiser ganhar dinheiro
Só se morrer e voltar.
 
A saúde se acabou
Porque o SUS vou fechar
Só tem direito agora
Aquele que me pagar
Uma vacina é um dólar
Faça a fila pra tomar.
 
Comida pra tanta gente
Eu mesmo não vou pagar
Ou morre todos de fome
Ou eu mesmo vou matar
Quem quiser comer aqui
Vai cair no meu manguá.
 
O capeta arrepiou
Deu um pulo para trás
Entregou sua medalha
Para nosso capataz
Que assumiu o novo nome:
Ele agora é Satanás!
 
Valdeck Almeida de Jesus
10 de maio de 2017
 
E-mail em arquivado
 
 
Todos os direitos são reservados a autor, conforme artigo (lei 9.610/98)
 
 
 

Poemas, crônicas e textos de diversos Autores.

Luís Corredoura

    Faço referência a este Poeta, que mesmo morando entre a DISTÂNCIA dos continentes, seus trabalhos consegue superar distância e encantar os amigos e leitores.     Convido a todos para conhecerem Luís Corredoura e alguns de seus trabalhos.    ...

Marize Rodrigues Ukwakusima.

Marize Rodrigues Ukwakusima mora em São Paulo, poetisa natural de Maceió.     O VERDADEIRO AMOR NÃO MORRE   Ela já amou tanto tanto  Que se perdeu  Quando seu amor a deixou   Atravessou imensos desertos  De pura solidão  Mergulhou em profundos abismos De...

Pedro Varino Ukwakusima

    Cooperador na empresa Gideões Missionários da Última Hora-GMUH     Estudou na instituição de ensino Universidade 11 de Novembro - Faculdade de Direito de Cabinda     Anterior: Cape Peninsula University of Technology...

Ukwakusima Jonas

SOBRE UKWAKUSIMA Nada sei a meu respeito... Nada preciso além de respeito... Nunca entre mil fui eleito... Isto basta...? Só a Existência pode Gerar Existência.     Natural de Namibe, mora atualmente em Luanda.   GERAÇÃO PARADOXAL Quem supostamente te iria defender,  Abre-te as...

Domini Wassandjuka Ukwakusima

HUÍLA UM LOCAL DE LAMENTOS.      A Huíla é parte de Angola e quiçá uma das cidades deste País que os Sábios vão à tv e orgulhosamente dizem o nosso País é belo e está crescer. Tendo o lubango como capital depois a Matala, a Huíla tem algumas potencialidades desde Agricultura,...

Aníbal Bastos

DESPEITO Vê lá se ganhas mais jeito, Ao demonstrares o despeito Que sentes queimar-te a alma! Esse sentimento baixo, É próprio de fêmea, ou macho, Que com o cio perde a calma!   Vê lá se ganhas mais jeito E corrige esse defeito, De quereres parecer menina! Porque a tua aparência, Não demonstra...

Leonia Teixeira

SOBRE LEONIA     Um ser humano como qualquer outro: Com erros e acertos, qualidades e defeitos, que ama a vida, os filhos, a família...Apaixonada por música, poema e poesia, que tem como hobby escrever e que pensa assim: "Ninguém é maior nem menor do que eu, somos da mesma...

Luisa Brás Pacheco

Poemas Poemas são mais que palavras Rimas, versos ou quadras cantadas Poesia é livre, mesmo acorrentada Tece teias nas inquietas madrugadas Embala sonhos quando acordada No sol que desponta no horizonte Na água que brota da fonte No cheiro a terra molhada No vento que sopra no monte E nas...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>