Um modo de ver a vida.

Um modo de ver a vida.

 

Com esses olhos fechados não vejo nada.

Com eles abertos também não...

Isso é a tristeza de quem não tem visão.

 

Mas eu não sou triste,

vejo tudo com essas mãos curiosas

nunca perdi a vaidade

sempre chamei atenção.

 

Na escola briguei com muitos valentões,

aqueles que não suportam ninguém.

Da turma era o mais inteligente,

desse jeito é bom ser diferente.

 

Em casa não tive tratamento especial,

aprendi que ser diferente é normal.

Isto nos tornam especiais,

imagine se todos fossem iguais.

 

Posso não ter a visão,

mas isso nunca foi problema!

Vejo melhor que muita gente.

 

Na verdade das palavras,

adoro cuidar de mim,

pois sou feliz assim.

 

“Não sou diferente,

Apenas mais independente”.

 

Júlio César Teixeira, nascido em Liberdade – MG, aos 17/10/1999, estudante do 3° ano da Escola Estadual Frei José Wulff, em Liberdade – MG, gosta de livros e poesias, sente na poesia uma forma de expressar seus sentimentos.

 

 

 

Todos direitos estão reservados a "Antologia Liberdade dos Poetas" e ao autor  conforme artigo (Lei 9610/98).
 

Poetas e seus Poemas da Antologia “Liberdade dos Poetas".

Vaca que dá leite.

O boi não dá leite, quem dá leite é vaca. Mas eu conheço um boi que é muito inteligente. Eu tenho uma vaca.   Eu tenho um boi que pega, mas a vaca minha não é brava. O boi é muito pegador, ele quer ensinar a vaca a ser brava.   O meu boi tem chifre, a minha vaca não tem. O meu boi é muito...

Amizade.

  A amizade, é coisa valiosa. Para ter amizade só precisa de vontade. A amizade também é graciosa.   A amizade é coisa boa, é pra vida inteira. É para não ter fim, abre a porteira para a amizade sim!   Para conseguir a amizade tem que se ter confiança. A amizade às vezes dá...

Nova história

    Se todo fim fosse um recomeço, toda despedida teria volta, toda saudade iria embora, todo amor seria uma nova história, e toda história uma nova memória.   Memória que se torna lembrança, lembrança que se torna esperança, esperança que veio no calor de um abraço, beijo com toque...

O Trabalhador honesto.

  Desde minha infância fui criado no cabo da enxada, dançando e fazendo farra.   Minha diversão era subir nas árvores junto com a molecada, brincávamos de soletrar e contar piadas.   Um dia, uma mulher me parou e perguntou para onde tu vais. Eu respondi... Irei atrás de meu...

O gosto gostoso do saber.

  No mundo das palavras descobri que o saber. É algo precioso que nos leva o mundo conhecer.   De posse desse conhecimento a vida vou viver. Levando sempre em meu coração o gosto gostoso do saber.   E neste mundo curioso a sabedoria devemos sempre buscar. Para que com ela saibamos o...
<< 7 | 8 | 9 | 10 | 11 >>