Um dia eu amei.

Um dia eu amei.

foto: mamanoel2010 uol

 

Um dia eu amei.

Ah! Amei profundamente,

meus sonhos, minha família, minha gente.

 

Amei o tempo, com se o amanhã não fosse existir mais.

Amei as pessoas como se todas fossem iguais.

Como se todas nos acolhessem em um abraço fraterno.

 

Ah!...

Como eu amei a vida.

 

O mundo parecia ser diferente.

As pessoas eram amáveis e sinceras.

O ar era puro e a natureza cantava e encantava nossos olhares.

 

Um dia eu amei.

Amei as palavras proferidas por todos.

Mesmo que elas fossem carregadas de repreensão.

 

O tempo passou,

e com ele talvez este amor puro.

As pessoas não são as mesmas,

o mundo não é mais o mesmo.

Minha vida não flutua nos sonhos,

não traz o cheiro da paz.

Não sinto o calor do amor.

 

Um dia eu amei imensamente,

e mal me lembro de seu gosto.

 

 

Ah! Se eu soubesse o que se perdeu,

talvez conseguisse plantar o amor novamente.

E ver as pessoas se abraçarem como se o hoje fosse único,

ouvir os pássaros cantarem a mesma melodia.

 

E sentir nos olhares das pessoas a sinceridade do amor.

Ver as casas dormirem de portas abertas e janelas semicerradas.

Ver o sorriso das crianças e seus tropeços nas ruas.

Ouvir serenatas de amor.

Mas o que é mesmo esta tal Serenata?

 

O tempo passou,

mas sei que um dia eu amei profundamente,

a vida, os amigos, o mundo sem diferenças e crenças.

Mas hoje tudo é lembrança,

tudo é saudade,

tudo é apenas...

Tudo, ou quem sabe?

O nada...

 

Um dia sinceramente amei,

ou acho que amei...

Não sei...

Pois o tempo passou e com ele o mundo já não é o mesmo.

 

Um dia acho que amei...

 

Leandro Campos Alves.

2015.

 

 
Número de páginas: 101 

Edição: 1(2016) 

Formato: Pocket 105x148 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura s/ orelha 

Tipo de papel: Offset 75g

 

 

 

 

 

 

 

 

www.clubedeautores.com.br/book/206358--Sonhos?topic=mensagens#.VwWSpPkrLIU

 

 Todos direitos estão reservados a autor  conforme artigo (Lei 9610/98).


 

Meus Poemas.

Brumadinho.

Sombra a morte, no vale do desespero. Estrondoso dia, de lama, dor e enterro.   Fúria da natureza, na ruptura da obra humana. Desrespeito da força estática, levando no torso a dor, água e lama.   O vale se faz noite, o choro ecoa e reclama. A saudade daqueles, que deixou aqui quem os...

Grande final da Liga Mantiqueira de Motocross, em Liberdade MG.

        O ronco dos nossos motores, chora em silêncio a sua partida. Valeu Companheiro.                           Gabriel Ribeiro #13 Autor da Frase: Leandro Campos Alves.   Homenagem...

A morte!

A morte expressa o medo. Mas que medo? Medo do que? Nascemos e somos levados ao batismo, cremos em Cristo, na ressurreição e na vida eterna. Então não seria a morte a consagração do que na vida esperamos?   Aos que vão, o silêncio! Aos que ficam, o choro! Aos incrédulos, a desilusão!   A...

Silêncio

O pensamento voa, na calada da noite. E no silêncio do dia! Meu peito agoniza.   Os momentos da vida, ficam restrito nas lembranças. O tempo com a vida passa, e envelhecemos com ele.   Com o amadurecimento... Sinto a frieza da alma, na quietude do seu silêncio.   Sombrio...

Soneto de la vida

Nuestros cuerpos entrelazados, sin remordimiento y pecado, me lleva al éxtasis del placer, al poseer usted.   Gritamos y amamos, El placer rompe el silencio de la noche, como la propia noche, que se pierde al amanecer.   Las memorias permanecen, sin miedo y consecuencias, sin hijos o...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>