Ser bailarina.

Ser bailarina.

 

Ser bailarina é ver o lado bom da vida.

É aprender dançar na chuva quando ela vem,

é fazer sempre o bem.

 

É dar piruetas com os braços no ar,

sem sair do lugar.

É dançar até se cansar.

 

Danço as notas de uma canção sem parar,

faço em “atiti” sem desequilibrar

as pontas dos pés preciso esticar.

 

Se eu cair

vou levantar e sorrir.

E nunca vou desistir.

 

Barreiras sempre vou encontrar,

mas elas eu irei superar,

eu prometo nunca deixar de dançar.

 

Isabelle Dias da Cunha Alves, nascida em Baependi – MG, aos 09/03/2002, estudante do 8° ano da Escola Estadual Frei José Wulff, em Liberdade – MG.

 

 

 

Todos direitos estão reservados a "Antologia Liberdade dos Poetas" e a autora  conforme artigo (Lei 9610/98).

 

Poetas e seus Poemas da Antologia “Liberdade dos Poetas".

O Olhar.

  Oh quanta dor me traz o amor. Sem você o meu céu é sem cor, minha vida é sem amor, meu coração só sente dor, sem ti meu amor.   À distância nos separou, mais o nosso amor não acabou, pois o nosso sonho de amor só começou, quando aqueles seus lindos olhos me avistou.   Meu coração...

Por onde andas?

  Menino das minhas poesias, garoto dos meus devaneios, por onde andas? Nessa noite de luar tão belo, a melancolia se faz presente. Nessas ruas tristes e quietas, vago com você na minha mente. Nessas noites de insônia, papel e caneta são minhas companhias. Com um copo de café em mãos, pego...

Natureza.

  Deu frutos meu pé de cereja, com a chuva que molhou o chão. Primavera chegou e a tristeza sorriu dentro de um coração.   O inverno partiu bem mais quente, e o verão fora tão frio. O mundo está tão diferente do que outrora se viu.   Retratos de um povo insolente, que fere a quem não...

O sentir.

  Tem certas coisas que só a gente entende, surge do nada e fica para sempre, Não tem rumo nem lógica e ninguém compreende.   Mas você sabe que há, porque vem da sua mente. Você tenta costurar, mas nem forma uma corrente.   E por mais que você tente, você não sabe o saber, confusa e...

Que saudade.

  Às vezes quando vou deitar, me pego a pensar, porque a vida é tão cruel? E logo passo tudo para o papel.   Lembro-me da minha vozinha, Guerreira, por quem tenho enorme admiração Que se foi... Mas me deixou uma lição.   Que independente de meus problemas, à Deus devo sempre...
<< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>