Rosa Céu

Rosa Céu

II EVENTO "IMAGEM QUE INSPIRA"
Título: PINCELADAS DE BELEZA
Autora: Rosa Céu
País: PORTUGAL

 

 

PINCELADAS DE BELEZA

 

Não conto as vezes que olho a natureza!
E no deslumbramento por tão belas cores
Passo à branca tela, pinceladas de beleza…
Fazendo esquecer demais minhas dores.

 

No sopé da elevada montanha de granito,
Árvores de verdes matizados se erguem!
O canto das aves me conduz ao infinito
Para onde meus pensamentos seguem.

 

Miro a clareza do rio num suave deslizar
Contornando aqui e ali o que encontra…
E neste contemplar dou comigo a sonhar!

 

Pelas margens floridas perco meu olhar!
No amarelo, laivo vermelho se concentra… 
Tudo vai dar vida à tela que sonho pintar.

 

Rosa Céu (© Direitos de autoria reservados)

Título: PINCELADAS DE BELEZA
16/01/2019

 

 

        A maior representação do romantismo, da sensibilidade, da poesia, posso afirmar que vem pela métrica do soneto.

        Poetizar e ter o dom dos versos, mas ser sonetistas é ter a dadiva da criação.

        Parabéns confreira Rosa Céu, perfeito o soneto “Pinceladas de Beleza” que tive o prazer de ler, perfeito e adorável de ser declamado.  

 

Leandro Campos Alves.

Membro da Academia Caxambuense de Letras- Cadeira 10

Membro Correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni 

Fundador da Delegacia da União Brasileira de Trovadores em Caxambu

Membro Correspondente da Academia Internacional de Artes, Letras e Ciências, “A Palavra do Século 21”

Membro da International Writers and Artists Association; IWA 

Autor do Maior Poema do Brasil - reconhecido oficialmente pelo livro dos recordes Brasileiros.

 

 

 

    O soneto (do italiano sonetto, pequena canção ou, literalmente, pequeno som) é um poema de forma fixa, composto por quatro estrofes, sendo que as duas primeiras se constituem de quatro versos, cada uma, os quartetos, e as duas últimas de três versos, cada uma, os tercetos. A forma mais comum é a que contém dez sílabas poéticas por verso, classificando-se como decassílabo, geralmente com acentuação rítmica na sexta e décima sílabas (verso heroico) ou na quarta, oitava e décima sílabas (verso sáfico). Os sonetos costumam ter uma estrutura semelhante. O texto começa com uma introdução, que apresenta o tema, seguida de um desenvolvimento das ideias e termina com uma conclusão, que aparece no último terceto.     Essa é, em geral, a estrofe descodificadora de seu significado.

 

Poemas, crônicas e textos de diversos Autores.

Este catálogo está vazio.