Prêmio Jabuti 2018

Prêmio Jabuti 2018
Criado em 1958 e outorgado anualmente pela CÂMARA
BRASILEIRA DO LIVRO (CBL), o PRÊMIO JABUTI é o mais
tradicional e prestigiado prêmio do livro do País, conferindo aos
vencedores o reconhecimento do leitor e da comunidade intelectual
brasileira. Vale também ressaltar que o 60.o PRÊMIO JABUTI é
organizado por uma Comissão e por um Conselho Curador,
indicados pela CBL. Inscrições até 28 de junho de 2018.
 
DAS OBRAS CONCORRENTES
 
●O PRÊMIO JABUTI será outorgado a obras inéditas, publicadas em
língua portuguesa no Brasil, em primeira edição, entre 1.o de janeiro e
31 de dezembro de 2017, podendo, no entanto, a impressão ter sido
feita fora do País.
●A autoria da obra deverá ser de autor(es) brasileiro(s), nato(s),
naturalizado(s), ou estrangeiro(s) com residência permanente no País.
 
DA PREMIAÇÃO
 
●O autor e a editora da obra vencedora em primeiro lugar de cada
categoria receberão um TROFÉU JABUTI, cada. Além do TROFÉU
JABUTI, o autor receberá um prêmio no valor bruto de R$ 5.000,00
(cinco mil reais), sendo deduzidos os encargos legais.
●No caso de obras em coautoria, o prêmio em dinheiro será dividido,
sendo deduzidos os encargos legais, e cada um dos coautores
receberá um TROFÉU JABUTI.
●No caso de obras em coedição, cada uma das coeditoras receberá
um TROFÉU JABUTI.
●Serão chamados para receber a estatueta na cerimônia de premiação
apenas os autores indicados na Ficha de Inscrição, acompanhados de
um representante da editora responsável pela obra premiada.
●Quando uma coletânea for premiada, o organizador mencionado na
Ficha de Inscrição receberá um TROFÉU JABUTI e a premiação em
dinheiro, deduzidos os encargos legais.

Criado em 1958 e outorgado anualmente pela CÂMARA BRASILEIRA DO LIVRO (CBL), o PRÊMIO JABUTI é o mais tradicional e prestigiado prêmio do livro do País, conferindo aos vencedores o reconhecimento do leitor e da comunidade intelectual brasileira. Vale também ressaltar que o 60.o PRÊMIO JABUTI é organizado por uma Comissão e por um Conselho Curador, indicados pela CBL. Inscrições até 28 de junho de 2018.

 

DAS OBRAS CONCORRENTES

 

●O PRÊMIO JABUTI será outorgado a obras inéditas, publicadas em língua portuguesa no Brasil, em primeira edição, entre 1.o de janeiro e 31 de dezembro de 2017, podendo, no entanto, a impressão ter sido feita fora do País.

●A autoria da obra deverá ser de autor(es) brasileiro(s), nato(s), naturalizado(s), ou estrangeiro(s) com residência permanente no País.

 

DA PREMIAÇÃO

 

●O autor e a editora da obra vencedora em primeiro lugar de cada categoria receberão um TROFÉU JABUTI, cada. Além do TROFÉU JABUTI, o autor receberá um prêmio no valor bruto de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), sendo deduzidos os encargos legais.

●No caso de obras em coautoria, o prêmio em dinheiro será dividido, sendo deduzidos os encargos legais, e cada um dos coautores receberá um TROFÉU JABUTI.

●No caso de obras em coedição, cada uma das coeditoras receberá um TROFÉU JABUTI.

●Serão chamados para receber a estatueta na cerimônia de premiação apenas os autores indicados na Ficha de Inscrição, acompanhados de um representante da editora responsável pela obra premiada.

●Quando uma coletânea for premiada, o organizador mencionado na Ficha de Inscrição receberá um TROFÉU JABUTI e a premiação em dinheiro, deduzidos os encargos legais.

Regulamento AQUI

 

Fonte: Notícias der Corte 109

Link

 

 

HISTÓRIA

    A história do Prêmio Jabuti começa por volta de 1958, em um período repleto de desafios para o mercado editorial, com recursos escassos e baixa articulação do segmento. Apesar das adversidades, não faltava entusiasmo aos dirigentes da Câmara Brasileira do Livro. As discussões foram comandadas pelo então presidente da entidade, EdgarCavalheiro, e pelo secretário Mário da Silva Brito – intelectuais e estudiosos da literatura brasileira –, além de outros membros da diretoria do biênio 1955-1957 interessados em premiar autores, editores, ilustradores, gráficos e livreiros que mais se destacassem a cada ano.
 

    Essas discussões em torno de uma “láurea” ou “galardão”, como se dizia na época, ganharam forma na diretoria seguinte, de 1957-1959, presidida por Diaulas Riedel, a quem coube a confirmação da escolha da figura do jabuti para nomear o prêmio e a realização de concurso para a confecção da estatueta, vencido pelo escultor Bernardo Cid de Souza Pinto. A primeira premiação ocorreu também na gestão do presidente Diaulas Riedel. No final do ano de 1959, em solenidade simples e despretensiosa realizada no auditório da antiga sede da CBL, na Avenida Ipiranga, foi feita a entrega do 1º Prêmio Jabuti. Foram laureados autores como Jorge Amado, na categoria Romance, pela obra “Gabriela, Cravo e Canela”. A Saraiva ganhou o prêmio de Editor do Ano.
 

    O maior diferencial em relação a outros prêmios é a sua abrangência: além de valorizar escritores, o prêmio destaca a qualidade do trabalho de todas as áreas envolvidas na criação e produção de um livro. Anualmente, editoras dos mais diversos segmentos e escritores independentes de todo o Brasil inscrevem suas obras em busca da tão cobiçada estatueta e do reconhecimento que ela proporciona. Receber o Jabuti é um desejo acalentado por todos aqueles que têm o livro como seu ideal de vida.

 


Nome
 

    Por que “jabuti” para nomear um prêmio do livro? A resposta tem explicação no ambiente cultural e político da época, influenciado, sobretudo, pelo modernismo e nacionalismo, pela valorização da cultura popular brasileira, nas raízes indígenas e africanas, nas suas figuras míticas, símbolos seculares carregados de sabedoria e experiência de vida e legados de uma geração à outra. Sílvio Romero, Mário de Andrade, Monteiro Lobato e Luís da Câmara Cascudo, entre o final do século XIX e o início do século XX, foram pioneiros na pesquisa, no estudo e na divulgação dessa rica cultura popular.
 

    E foi Monteiro Lobato, provavelmente, o mais prolífico na recriação literária das histórias desses personagens meio enigmáticos, meio reveladores e sempre sedutores do folclore nacional. Um desses personagens da literatura infantil de Lobato é, como se sabe, o jabuti. O pequeno quelônio, já familiar no imaginário das culturas indígenas tupi, ganhou vida e personalidade nas fabulações do autor das “Reinações de Narizinho”, como uma tartaruga vagarosa, mas obstinada e esperta, cheia de tenacidade para vencer obstáculos, para enganar concorrentes mais bem-dotados e chegar à frente ao fim da jornada. Com essas credenciais, ganhou também a simpatia e a preferência dos dirigentes da CBL. Eles o elegeram para inspirar e patrocinar um prêmio para homenagear e promover o livro.


Jabuti repaginado
 

    Ao longo dos seus 60 anos, o Jabuti passou por transformações. No início, a cerimônia de entrega do prêmio era feita na antiga sede da entidade, na Avenida Ipiranga. Depois, passou a ser realizada durante as bienais do livro. Mas, o Jabuti ganhou vida própria e os diretores da CBL sentiram a necessidade de criar um evento proporcional à credibilidade do prêmio junto ao mercado editorial e à própria sociedade. Em 2004, ocorreu a primeira grande cerimônia de entrega das estatuetas, realizada no Memorial da América Latina, local onde aconteceu também a entrega do Prêmio Jabuti em 2005. Logo após, a grande festa do livro do Brasil ganhou um dos espaços mais nobres da capital paulista – a Sala São Paulo. De 2014 a 2017, o evento foi realizado no Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer, em São Paulo.
 

    No Regimento Interno do prêmio, criado em 1959, constavam apenas sete categorias: Literatura, Capa, Ilustração, Editor do Ano, Gráfico do Ano, Livreiro do Ano e Personalidade Literária. Em época mais recente, começaram a ser contempladas todas as esferas envolvidas na criação e produção de um livro, passando pela Adaptação, Ilustração, Capa, Projeto Gráfico e Tradução, além das categorias tradicionais como Romance, Contos e Crônicas, Poesia, Reportagem, Biografia e Livro Infantil.
 

    Uma iniciativa que trouxe mais encanto foi a criação das categorias Livro do Ano de Ficção, em 1991, e Livro do Ano de Não Ficção, em 1993. Revelados somente na noite da entrega das estatuetas, estes prêmios são o ponto alto do evento, em um momento de grande expectativa por todos os profissionais do mercado editorial.
 

    Em 2015, o prêmio inovou com a inclusão da categoria Infantil Digital que abrangeu conteúdos para o público infantil combinados a elementos multimídia interativos. Nesse mesmo ano foi criado o projeto “Jabuti entre Autores e Leitores” com o objetivo de promover encontros com os ganhadores do prêmio de edições anteriores em bibliotecas, livrarias, universidades e eventos literários nacionais.
 

    A partir de 2017, o Prêmio Jabuti passou a contemplar duas novas categorias: Histórias em Quadrinhos e Livro Brasileiro Publicado no Exterior. Esta última, conta com o apoio do Brazilian Publishers, projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro resultado da parceria firmada entre a CBL e a Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos. Por sua abrangência, o Jabuti é considerado o maior e mais completo prêmio do livro no Brasil.
 

    Em 2018, o Jabuti completa 60 anos e a CBL continua a trabalhar firmemente para que ele se aproxime do leitor, esteja atualizado com o mercado e permaneça como o mais almejado prêmio literário do País. Para manter esse papel de destaque, mais uma vez a inovação se faz presente, com a adoção de medidas para valorizar ainda mais a conquista dos autores e editores, acolher os autores independentes, aprimorar a gestão da estrutura do prêmio, reorganizar as categorias e aperfeiçoar os critérios de análise das obras concorrentes. Entre essas, inclui-se a revelação dos ganhadores de cada categoria e do Livro do Ano apenas na cerimônia de premiação e o lançamento da categoria Formação de Novos Leitores, para reconhecer iniciativas de estímulo à leitura.

    De todas as transformações e melhorias realizadas ao longo de sua existência, o legado evidente do Jabuti é sua capacidade de atualização e transparência, características marcantes de seu regulamento e reconhecidas por todos que produzem informação, conhecimento e arte no Brasil

 

Fonte:Jabuti

www.premiojabuti.com.br/historia/

 

Notícias Diversas.

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 231/2016

  CONCEDE O TÍTULO DE CIDADÃO BENEMÉRITO DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO A HILÁRIO SILVA NETO   Autor(es): VEREADOR PROF. CÉLIO LUPPARELLI A CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO   D E C R E T A :   Art. 1º Fica concedido o título de Cidadão Benemérito do...

Escritoras Premiadas no Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura de 2017

“Membro Fantasma”, vencedor na categoria Jovem Escritor, relata a trajetória de Diana, uma brasileira que está em Assunção (Paraguai) à procura de relatos sobre a ditadura de Stroessner a fim de escrever uma ficção. Nesse percurso, histórias ouvidas e lembranças familiares revelam-se e...

PRÊMIO GOVERNO DE MINAS GERAIS DE LITERATURA 2017 | MULHERES MOSTRAM A FORÇA DE SUA PRODUÇÃO

Conceição Evaristo é a grande vencedora do Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura de 2017 Mineira venceu na categoria conjunto da obra e é a primeira escritora negra a receber o prêmio desde que ele foi criado em 2007; de forma inédita, o edital consagra as mulheres em todas as categorias,...

FLACX 1ª Feira Literária anual em Caxambu.

A FLACX é um projeto de incentivo a leitura desenvolvido e realizado pela Associação Multidisciplinar de Arte e Cultura – AMAC   Procuramos envolver toda a comunidade, a fim de fomentar ainda mais este potencial cultural da região, trazendo a participação tanto de autores e artistas...

XXVII Concurso Nacional de Poesias Augusto dos Anjos

O Concurso Nacional de Poesias Augusto dos Anjos foi criado no início da década de 1990, pela servidora Maria Helena Vieira, na época coordenadora da Biblioteca Luiz Eugenio Botelho. Com a equipe da Biblioteca, o Concurso foi ganhando cada vez mais espaço em Leopoldina e Região, até ser reconhecido...

Coletânea Infantil IMAGINAÇÃO e FANTASIA

(capa da COLETÂNEA INFANTIL “IMAGINAÇÃO e FANTASIA”)   Caros Escritores Infanto-juvenis:   A CLiP Mulher, representada pelas Escritoras Andrea Gustmann e Neida Rocha, IWA lança a Coleção: CONTOS DOURADOS com a COLETÂNEA INFANTIL “IMAGINAÇÃO e...

IV Concurso Infantil dê o Nome do Personagem do Livro PEGADAS NA VILA

REGULAMENTO 1.     A partir do livro “PEGADAS NA VILA” da Escritora Neida Rocha, crianças de 4 a 13 anos de idade, de qualquer cidade do Brasil, poderão participar do IV CONCURSO INFANTIL: DÊ O NOME DO PERSONAGEM DO LIVRO “PEGADAS NA VILA”. 2. Livro à venda...

CONCURSO TURÍSTICO DESCUBRA POMERODE/SC

  REGULAMENTO   O concurso é aberto a qualquer pessoa (menores de 18 anos poderão participar se devidamente autorizados por seus pais ou responsáveis). Podem ser inscritas fotos na posição vertical, coloridas, em alta resolução.   As fotografias devem ser enviadas pela internet ...

CONCURSO INTERNACIONAL DE TROVAS PORTUGAL 2018

CONCURSO INTERNACIONAL DE TROVAS PORTUGAL 2018     O Concurso de Trovas será promovido pela Poeta e Escritora   GABRIELA PAISS       Vice-Presidente Internacional da Organização Mundial de Trovadores OMT -Portugal   Delegada da UBT /...

II Concurso Literário de Barra Mansa

    Estão abertas as inscrições para o II Concurso Literário de Barra Mansa! A Prefeitura Municipal de Barra Mansa, por meio da Fundação Cultura - FCBM e Biblioteca Municipal Adelaide Franco, promovem o Concurso Literário, categoria poesia. As inscrições poderão ser realizadas...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Entrevistas Literárias.

Nara Vidal

Por Selmo Vasconcellos   Nara Vidal é mineira de Guarani. Formada em Letras pela UFRJ, é Mestre em Artes pela London Met University. Mora na Europa há 14 anos. É autora de infantis, juvenis e seu primeiro adulto, “Lugar Comum” (Editora Pasavento), já em reimpressão, foi lançado em...

Dinovaldo Gilioli

Por Selmo Vasconcellos   Dinovaldo Gilioli — nasceu em Leópolis/PR, 1957, morou em Curitiba e reside há mais de 30 anos em Florianópolis – SC. Formado em Ciências Contábeis, com especialização em Realidade Brasileira e pós graduação em Dinâmica dos Grupos. Quando diretor do Sindicato...

Christiane de Murville

A francesa e brasileira Christiane de Murville apresenta 'Até Quando?'   Por Shirley M. Cavalcante (SMC) Graduada, mestre e doutora em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo, com especialização em psicodrama e orientação profissional, Christiane Isabelle Couve de Murville...

George Ornellas

Romance policial 'Amores e crimes' será lançado no Rio de Janeiro   Por Shirley M. Cavalcante (SMC) George Ornellas é Professor de Educação Física, Geógrafo, Historiador e Escritor. Romântico e aventureiro, nasceu no Rio de Janeiro, escreveu seu primeiro romance há mais de vinte anos,...

Jéssica Figueiredo

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Nome: Jéssica Figueiredo                       Cidade: Recife - PE        País: Brasil   Quais livros estarão...

Manoel Baruque

Por Shirley M. Cavalcante (SMC) Manoel Baruque – ou A.Baruk, seu pseudônimo – é brasileiro, morador de Copacabana, Rio de Janeiro. É apaixonado por futebol, sendo praticante deste esporte desde sempre e nunca se cansando de assistir a jogos de todos os cantos do planeta, inclusive do Sporting...

Maria Gravina Ogata

Por Shirley M. Cavalcante (SMC) Maria Gravina Ogata nasceu na cidade de Polignano a Mare, na região da Puglia, no sul da Itália. Com dois anos de idade imigrou para o Brasil, alguns anos após o término da Segunda Guerra Mundial. É brasileira naturalizada, Geógrafa e Advogada, com Mestrado em...

Melchíades Montenegro

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Melchíades Montenegro, pernambucano, é geógrafo, escritor e poeta, com inúmeros artigos, contos, poemas e livros publicados. Montenegro é associado da União Brasileira de Escritores, Vice-Presidente da Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro, e...

Fernando Cardoso

Com trinta e quatro obras publicadas o autor Fernando Cardoso se torna referência Internacional para adultos e crianças     Por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Escritor e pedagogo, Fernando Cardoso nasceu no norte de Portugal, mais concretamente na cidade do Porto, mas aos quatro...

Escritora Paula Laranjo

Alimentando a alma através de "Reflexos" e "Essência da Alma" com a autora Paula Laranjo Sou natural de Leça da Palmeira.  Licenciei-me em Engenharia Agronómica, pela Universidade do Algarve. Possuo Pós – Graduação em Sistemas HACCP, pelo Instituto Egas Moniz.  Exerço a minha...

Maria Adelina Nunes da Fonseca Velho da Palma

Adelina Velho apresenta sete contos, sete relatos, sete epílogos, um livro   Por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Maria Adelina Nunes da Fonseca Velho da Palma nasceu em 1954, em Lisboa, e é do signo de Aquário. É licenciada em Matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade de...

Filipa Leandro

Surfista profissional Filipa Leandro destaca a prática do surf em seus enredos   por Shirley M. Cavalcante (SMC) Filipa Leandro, 45 anos, é mãe de três filhos que lhe dão alegria imensa:  Joey, 17 anos, adora andar de skatee pegar umas ondas; Francisca Veselko (Kika), 14 anos, está...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>