Pétalas de Outono.

Pétalas de Outono.

 

Ao ver-te.

Meu peito sucumbiu à paixão.

Ao falar-te.

Aumentou o palpitar deste pobre coração.

 

Seu cheiro suave abraçou-me,

Você carinhosamente envolveu-me.

Senti  por ti o desejo aumentar minha emoção.

Minha vida então a pus em suas mãos.

 

Perpetuei-te e admirei-te.

Com zelo a ti entreguei-me.

E ao amor então cedemo-nos.

 

Se mil vidas eu tivesse,

Mil vidas eu te daria.

E você novamente eu amaria.

 

Como as raras pétalas de Outono.

O amor que se perpetua hoje é raro.

Leandro Campos Alves.

Registrado no EDA.

14/10/2104.

 

 
Número de páginas: 103 

Edição: 1(2015) 

Formato: A5 148x210 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura c/ orelha 

Tipo de papel: Offset 90g
 

Meus Poemas.

Pessoas.

Tem gente que se acha grande. Tem gente que se acha justo. Tem gente que se acha gente.   Mas nem toda grandeza traz segurança, nem toda justiça é perfeita, nem todo achar nos faz ser gente.   A vida é feita de atos. A gente é feito pelo amor, e o amor... É feito de respeito.   A...

Soneto Tempo

O tempo abranda a dor, cura o corte, cicatriza as lembranças, acalenta a morte, nos enche de esperanças.   O tempo abranda o passado, cura a ferida, apaga o que era errado, harmoniza o presente da vida.   O tempo é o único remédio, que abranda a desilusão, e faz renascer uma nova...

Declarações.

  Se um dia eu amei... Se um dia te conquistei... Digo a ti amor eterno, que minhas declarações são simples palavras, e não mostram o tamanho de meu sentimento.   Como frases jogadas ao vento, elas percorrem espaços, territórios e sonhos. Voam nas asas das promessas, mesmo assim, não...

Noites eternas.

  O silêncio da noite na cidade não será mais o mesmo. As ruas não terão na madrugada, o sons de seus passos solitários. A noite não trovoará a voz da sua amizade. O cambaleio do solitário sonhador, não terá mais sua maestria.   Nossas noites ficarão mais frias, as lembranças serão...

Fogão a Lenha.

Foto arquivo pessoal Gisele C. de Souza   Lembro claramente, daquele fogão de lenha. vermelho reluzente, com chapa negra e bem quente. Sua fumaça sai calmamente, pela chaminé que ficava a sua frente.   Construído sobre o chão liso, verde era a cor daquele piso.   Em pé ao seu...
<< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>