Perda.

Perda.

 

 

A noite desce no horizonte,

e faz-me ver como sinto sua falta.

Eu procuro em minhas lembranças,

o vestígio do nosso amor.

Mas qual amor?

Se lhe magoei, humilhei e lhe deixei.

 

Naquele dia vi suas lágrimas clamarem meu carinho,

o meu abraço e meu calor.

Senti você suplicar um pouquinho só do nosso amor.

Porém não me importei com a sua dor.

 

Ignorei seus sentimentos,

dei-lhe as costas e parti,

e hoje aqui estou com meu lamento.

Abraçado com a noite solitária,

embriagando-me de saudades.

Pela falta da minha cara metade.

 

O tempo passa e não te esqueço,

dói-me a perda, mas eu mereço.

Não dei o devido valor,

ao tamanho do nosso amor.

 

À noite e as farras,

os colegas e os bares.

Foram a minha perdição e sentença.

Perdoe-me por fazê-la sofrer.

Hoje sei que fui seu carrasco,

e mereço ter como companhia,

a solidão das noites frias.

 

 

Leandro Campos Alves.

20/10/2014

 

Cover_front_perspective
Número de páginas: 103 

Edição: 1(2015) 

Formato: A5 148x210 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura c/ orelha 

Tipo de papel: Offset 90g
 

Meus Poemas.

A maior riqueza de um homem é ser pobre.

    A maior riqueza de um homem é ser pobre. Nela encontramos...   Saudade, amizade, liberdade, sobriedade, humildade, unidade, reciprocidade, fidelidade.   Que mesmo diante da dificuldade, e da necessidade. Achamos nela a hombridade, para sorrir de felicidade.   Enquanto a...

Carnaval em Flor.

Ser livre é viver a alegria, sorrir, pular e entrar na folia. Ter o coração aberto, e o corpo desnudo, ou até mesmo coberto.   Ser livre é viver, dançar e encantar. Criar, trabalhar e ser popular, amando quem no caminho encontrar, deixando a tristeza em outro lugar.   Ser belo é fazer o...

A morte.

A morte que amedronta, vem marcando, ferindo e sangrando. Levando aos que ela encontra, ou, aos que a Deus encanta.   Dói a prematuridade, de uma flor em plena mocidade, ser lançada a história, e acolhido pela eternidade.   Sangra o peito de toda cidade, ao receber a notícia, desta imensa...

Amigo Eterno

Hoje a matemática ficou órfã, perdeu sua operação de multiplicação. Multiplicar conhecimentos, a lealdade e o discernimento.   Multiplicar a verdade, a palavra amiga, o laço de amizade, a voz da autoridade.   Multiplicar o amor pelo ensino, a gana do saber. Nos preparando para o...

Trem de Minas.

Lembro-me daquele tempo, que era uma criança. E minha mãe pelas mãos me conduzia, para ir visitar a minha outra tia, que também se chamava Maria.   Primeiro trajeto da viagem era feito, numa estradinha cheia de curvas, e nos assentos de uma perua, cada passageiro ajeitava-se ao seu...
<< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>