PARA ONDE VAI A CULTURA?

PARA ONDE VAI A CULTURA?

 

Por : Aldo Moraes

 

        Depois da tentativa de extinção do Ministério da Cultura, veio a redução de orçamento e o corte em importantes editais que valorizavam a memória, a formação de público e a criação artística no Brasil. De Norte a Sul. Das avançadas pesquisas no campo da música contemporânea ao fazer de saberes populares no interior do país. Da política pública que levou autores e artistas plásticos aos maiores centros mundiais da cultura às tantas oficinas arte-educativas que transformaram vidas e comunidades inteiras.

 

 

        Em seguida, o ministro que pede demissão porque foi pressionado a emitir um documento habilitando uma construção irregular no centro histórico de Salvador. Um novo Ministro que sai quando o Presidente da República é pego em gravações nada republicanas. Agora, um ministro interino que pede demissão em meio a bastidores que dão conta de que partidos políticos disputam a cadeira e seus cargos, sem nenhum entendimento da cultura brasileira.

 

        Em meio a crise política e ao desmonte do Minc, importantes programas respeitados no exterior têm sua continuidade ameaçada. É o caso da Bienal de Música Contemporânea, evento no qual este que vos escreve fez a primeira estréia de uma composição musical, nos anos 90. 

 

        O batuque na caixa, projeto que criei em 1998 tem sido parceiro da Funarte e do Minc ao longo dos últimos 15 anos. Divulgamos as ações destas instituições e recebemos seus materiais históricos, educativos, biográficos e partituras musicais que atendem aos anseios de nossos professores e alunos. Milhares de jovens tiveram acesso direto e indireto a esse tesouro cultural. É assim que podemos recontar a vida e a obra de um Luiz Gonzaga, Cartola, Carlos Gomes, Guarnieri  e de Aracy de Almeida para crianças e jovens, no interior do Paraná, onde trabalhamos.

 

        Em meio a um cenário, onde vemos parte de nossa história e memória cultural sendo desmontadas e importantes iniciativas ameaçadas, posso afirmar que o acesso ao conhecimento por quem mais precisa e os sonhos de uma vida inteira agonizam. Que um dos nossos maiores patrimônios, de pleno reconhecimento mundial, depende hoje da resistência de bravos e guerreiros homens e mulheres do Brasil.

 

        Uma pergunta fica aos políticos de Brasília e a outros de vários pontos do país (porque o ataque à cultura, às minorias e à plena liberdade tem se espalhado assustadoramente): 

 

        PARA ONDE VAI A CULTURA?

 

Aldo Moraes

Jornalista, Compositor e Escritor

Londrina Paraná

 

43 98417-7239

composermoraes@hotmail.com

 

Fonte:Jornal Eletrônico Grito do Cidadão.

www.abdic.org.br/index.php/1745-para-onde-vai-a-cultura

 

Notícias Diversas.

Acho que Jorge Amado estaria orgulhoso do texto da filha Paloma !

Crônica de Domingo, 6 de janeiro de 2019, publicada na sexta,    4: Princesas, príncipes e as crianças sem cor do Brasil.   "Há 83 anos, meu pai, o escritor Jorge Amado, publicou seu quinto livro. Ele tinha apenas 23 anos. O romance “Capitães da Areia” retratava a vida dos meninos de...

Aluna do Colégio Dom Bosco de Americana é premiada em Curitiba

  A jovem Alyssa Tomiyama, de 10 anos, aluna do Colégio Dom Bosco Americana - SP, foi premiada em 3 categorias do “MGT – O Encontro”, em Curitiba-PR.   Durante os três dias de evento, aconteceu uma mostra de talentos para os principais profissionais da moda, cinema, TV,...

Emadilson de Jesus - professores que fazem a diferença

    Graduado em Letras, pós-graduado em Ensino de Língua Espanhola “lato sensu” e também Escritor (Poeta membro do Clube do Poeta Sul da Bahia e Membro Correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni em Minas Gerais), com seis livros e dois artigos acadêmicos lançados pela...

Solidariedade é tema de série de livros

Aos 11 anos, a estudante Clara Luz Hermida lança “A loja de doces da Clarinha” na Oficina Cultural Clara Luz Hermida é uma menina que não tem luz no nome por acaso. Aos 11 anos, desde os 8 anos tem um engajamento um tanto incomum para crianças na sua idade. “Não posso ver ninguém sofrendo que...

30º Concurso Literário Internacional de Poesias, Contos e Crônicas

Informações: a) Poesia, Conto e Crônica.   Premiação: I) Edição em Coletânea Internacional   Prazo: 1° de Março de 2019   Autora homenageada Ieda Linck   Informações   Tema livre Idiomas: português, espanhol, francês e italiano Inscrições até: 1° de...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>