Os Fantasmas

Os Fantasmas

Hoje eles, os fantasmas, 
vieram me visitar
E ao recordar fizeram-me rir, 
e fizeram-me chorar.

Em meio a tantas lembranças 
vieram os ciganos.
que na beira do arroio vinham 
todo verão acampar.

E na casa do passado 
ouvia-se o bando cantar
com suas grandes fogueiras 
e suas danças de encantar.

E junto também estava
a presença da ausencia
sempre a sombra dos eucaliptos.

E havia também o vento
que nem sempre parado, 
rebatia pela fresta da janela
da frente.

O cavalo a galope 
no dia de sol quente.
As noites de chuva, 
tamborilando no teto de zinco.
As frutas de época
que secavam nos telhados.

Hoje eles vieram me visitar,
depois de tanto tempo passado.
Os fantasmas me fizeram chorar.

Guerreira Xue/Hilda Milk

Caminhos do vento!

Olha o Tempo

Espio pela fresta e eis que me chega... O tempo Horas que se esvaem sem pressa Mas religiosamente... Indo E esse escorre por entre os dedos Como as areias sopradas pelo vento   Olha, ali vem vindo o tempo! E ele, levando tudo pela frente Quanto é impiedoso este...

Escravos

Em descobertas do acaso Desde o momento que nascemos no instante que o sol aparece até o ocaso E pode ser o mais miserável No minuto que a lua desce   O mais poderoso dos homens da servidão não escapa seja quem for Na hora que morremos E não importando de que raça De...

A Mendiga

  Sentada na calçada. Olhando para o nada Lembro-me da vida passada Uma vez  há muito tempo, Eu fui bela, rica e abastada   Eu que um dia tive um lar Hoje eu moro na rua Sou  uma desabrigada. Sem amor, nem casa e nua     Eu que já fui um dia...
<< 6 | 7 | 8 | 9 | 10 >>

Artigos Literários por Hilda dos Santos Milk.

SENSO COMUM

Na rotina diária o homem respira, trabalha, come e dorme. Suas diversões são; futebol das quartas e a bebedeira das sextas, acompanhado de outros bêbados que chamam de hora feliz. Certo ou errado, cada um é que sabe de si. Algumas mulheres acompanham o ritmo, dando colorido ao...

O Ladrão do Tempo

Na era da escuridão ele já existia, e quando se fez a luz, ele ausentou-se, pois foi de ferias para África. Ao retornar ao país de origem ele estava entrado em anos, e os amigos de infância tinham morrido. E ele chorou. Nesse momento que ele percebeu que o tempo não ligava para a sua morte. Depois...

Tia Irene

Quando era menina morava na Vila Harmonia, e logo depois do rio vivia uma mulher sozinha, a quem todos chamavam de tia Irene, e se era minha, eu não sei. Há que se diga que esse nome é de bruxa mesmo. Segundo as línguas do lugar ela tirava mau-olhado, tristeza, devolvia a alegria e fazia homem...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>