Leandro Gomes de Barros.

Leandro Gomes de Barros.

BIOGRAFIA de Leandro Gomes de Barros

    Leandro Gomes de Barros, paraibano nascido em 19/11/1865, na Fazenda da Melancia, no Município de Pombal, é considerado o rei dos poetas populares do seu tempo. Foi educado pela família do Padre Vicente Xavier de Farias, (1823-1907), proprietários da fazenda, e dos quais era sobrinho por parte de mãe. Em companhia da família "adotiva" mudou-se para a Vila do Teixeira, que se tornaria o berço da Literatura Popular nordestina, onde permaneceu até os 15 anos de idade tendo conhecido vários cantadores e poetas ilustres.

    Do Teixeira vai para Pernambuco e fixa residência primeiramente em Jaboatão, onde morou até 1906, depois em Vitória de Santo Antão e a partir de 1907 no Recife onde viveu de aluguel em vários endereços, imprimindo a maior parte de sua obra poética no próprio prelo ou em diversas tipografias. Vale a pena transcrever o aviso no final de um poema, A Cura da Quebradeira, que demonstra suas constantes mudanças e o grande tino comercial:

"Leandro Gomes de Barros, avisa que está morando em Areias, Recife, e que remetterá pelo correio todos os folhetos de suas produções que lhe sejam pedidos”.

    Sua atividade poética o obriga a viajar bastante por aqueles sertões para divulgar e vender seus poemas e tal fato é comentado por seus contemporâneos, João Martins de Ataíde e Francisco das Chagas Baptista:

 

"Voltando João Athayde
De Vitoria a Jaboatão
Quando chegou em Tapéra
Que saltou na estação
Encontrou Leandro Gomes
Entraram em conversação"

"Estava em Lagoa dos Carros,
O grande Chagas Batista,
Quando trouxeram-lhe à vista
Leandro Gomes de Barros,
que para comprar cigarros
tinha descido do trem (...)"

 

    Foi um dos poucos poetas populares a viver unicamente de suas histórias rimadas, que foram centenas. Leandro versejou sobre todos os temas, sempre com muito senso de humor. Começou a escrever seus folhetos em 1889, conforme ele mesmo conta nesta sextilha de A Mulher Roubada, publicada no Recife em 1907:



Leitores peço-lhes desculpa
se a obra não for de agrado
Sou um poeta sem força
o tempo me tem estragado,
escrevo há 18 anos
Tenho razão de estar cansado.



    Caboclo entroncado, de bigode espesso, alegre, bom contador de anedotas: este é o retrato que dele faz Câmara Cascudo em Vaqueiros e Cantadores. Casou-se com Venustiniana Eulália de Barros antes de 1889 e teve quatro filhos: Rachel Aleixo de Barros Lima, Erodildes (Didi), Julieta e Esaú Eloy, que seguiu a carreira militar tendo participado da Coluna Prestes e da Revolução de 1924. De Leandro só possuímos fotos de meio-busto e uma de corpo inteiro, que colocava em seus folhetos para provar a autoria de seus versos; de sua família, o que ficou para a história foram os folhetos assinados com caligrafia caprichada, sobretudo os de Rachel.

    Na crônica intitulada Leandro, O Poeta, publicada no Jornal do Brasil em 9 de setembro de 1976, Carlos Drummond de Andrade o chamou de "Príncipe dos Poetas" e assinala:

    "Não foi príncipe dos poetas do asfalto, mas foi, no julgamento do povo, rei da poesia do sertão, e do Brasil em estado puro". E diz mais: "Leandro foi o grande consolador e animador de seus compatrícios, aos quais servia sonho e sátira, passando em revista acontecimentos fabulosos e cenas do dia-a-dia, falando-lhes tanto do boi misterioso, filho da vaca feiticeira, que não era outro senão o demo, como do real e presente Antônio Silvino, êmulo de Lampião". 

    Mas não foi só Drummond, nosso poeta maior, que reconheceria em Leandro a majestade dos versos. Em vida era tratado por seus colegas como o poeta do povo, o primeiro sem segundo (Athayde) e verdadeiro Catulo da Paixão cearense daqueles ásperos rincões (Gustavo Barroso).

    Após o seu falecimento, em 4 de março de 1918, no Recife, o poeta e editor João Martins de Ataíde, em seu folheto A Pranteada Morte de Leandro Gomes de Barros, escreveu:



Poeta como Leandro
Inda o Brasil não criou
Por ser um dos escritores
Que mais livros registrou
Canções não se sabe quantas
Foram seiscentas e tanta
As obras que publicou.

 

Fonte: https://www.casaruibarbosa.gov.br/cordel/leandro_biografia.html#

Biografias de Escritores Brasileiros.

Felipe Cattapan

    Nascido no Rio de Janeiro em 1973,  Felipe Cattapan mora com a sua família em Zurique, onde é conhecido sobretudo como regente (orquestral e coral) e docente universitário. Na sua ampla atividade musical dirige diversos projetos interdisciplinares que dialogam com a...

Alexandre Magno

    Alexandre Magno Barbosa dos Santos, nascido em São Paulo próximo as Margens do Rio Ipiranga em 18 de outubro de 1969, graduado em Pedagogia especialista em Diversidade Cultural e Direitos Humanos, pós-graduação em Educação Inclusiva (PcD – Pessoa com Deficiência). Coordenador de...

Sergio Diniz da Costa

    SERGIO DINIZ DA COSTA, natural de Sorocaba (SP), é escritor, poeta, radialista, revisor de livros, membro da Academia Sorocabana de Letras e um dos editores do Jornal Cultural ROL. Autor dos livros: Elegantia juris: o argumento eloquente; Etéreas: meus devaneios poéticos;...

Claudia Lundgren

       Claudia Lundgren, 47, natural de Teresópolis, é escritora e Educadora Infantil.     Ocupa a cadeira 138 da Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil (ACILBRAS), a cadeira 50 da Academia Independente de Letras (AIL) e é Membro Efetivo da Sociedade...

Leslie Ceotto Deslandes

    Leslie Ceotto Deslandes é mineira da capital que ultrapassa os limites de ser mãe, avó e esposa. A escritora de diversos gêneros, em sua poesia dá voz as mulheres e sonhos.      Contadora de histórias com especialização em Adolescência pela FELUMA BH/MG, e é...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>