Julio Carlos Alves

Julio Carlos Alves

Seringueira Localizada em praça da cidade de Campinas é personagem principal de LUNA LINA.

 

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)

 

 

Encontros e desencontros são contados e recontados  pelo autor Júlio Carlos Alves em reflexiva história sobre a vida.

 

O ambientalista Julio Carlos Alves, nascido em Arapongas no Paraná, um pé vermelho em São Paulo, empresário, e principiante escritor, mora em Valinhos – SP, tem 53 anos,  casado com Silvana Bianchin, tem uma filha chamada Camila, o autor se orgulha em ter um cantinho especial para suas orquídeas, tem como animal de estimação, acreditem, uma galinha garnizé, chamada “Annita”.

 

 “A inspiração para o texto veio  de uma enorme árvore da espécie seringueira, localizada em uma praça no bairro Parque Industrial em Campinas-SP.  Por volta do ano 1950 ela foi plantada pela Sra. Antonia Mosca Bianchin. O resultado de muitas pesquisas e dedicação poderão serem conferidas no Livro LUNA LINA”

 

Boa Leitura!

 

Escritor Julio Carlos Alves é um prazer contarmos com a sua participação na Divulga Escritor: Revista Literária da Lusofonia, conte-nos o que o motivou a ter gosto pela escrita literária?

Júlio Alves - Olá Shirley, nasci com alma de ambientalista, desde a minha infância escrevia pequenos textos e almejava, um dia, conseguir externar a minha paixão pela natureza. Diante do descaso do governo em relação as agressões ambientais no entorno que vivia, em 2005 fundamos a ONG SOS Tancredão na cidade de Campinas, São Paulo, Brasil a qual presidi até 2008. Entendo que a partir desta experiência o meu objetivo ficou mais latente.

 

Em que momento pensou em escrever o seu livro “Luna Lina – A menina que semeava ecos”?

Júlio Alves - Em uma tarde chuvosa no final de agosto de 2013, eu estava esperando o sinaleiro abrir e enxerguei a sábia mãe natureza através de uma bela e antiga árvore, neste momento pensei: - O que uma árvore centenária teria presenciado em sua existência, em sua longevidade viu a paisagem transformar-se, gerações nascerem e morrerem e, solitária, possivelmente enfrentou incontáveis problemas. A inspiração do livro nasceu neste momento, como um presente divino.

Após o texto estar completo procurei algumas editoras, pelo fato de ser um autor desconhecido, encontrei muitas dificuldades, por isso acabei optando em publicá-lo na editora Pontes independentemente. 

Recentemente tive a grata surpresa de que o livro ganhará alma Lusitana, LUNA LINA será lançado em Portugal em Dezembro de 2016 pela editora Rui M. Publishing, inicialmente em formato E-Book. Veja o trailer book (https://youtu.be/HWCn9HkC3aM ). 

 

Qual a mensagem que quer transmitir ao leitor através do enredo que compõe a obra?

Júlio Alves - Intencionalmente procurei despertar a sensação no leitor de que estamos compartilhando um importante presente.

Todos estamos conectados em qualquer tempo e lugar do globo.  Esta ideia provoca o leitor a uma reflexão sobre a atual sociedade com comportamento antropocentrista.

 

O que mais o encanta nesta obra literária?

Júlio Alves - Uma leitura simples e cativante para qualquer idade. Trata-se de um diário, com a história de LUNA LINA, uma adolescente que viveu no século passado, filha de um rico e visionário barão do café, solitária, ela adquiriu conhecimento através da leitura, após sucessivos acontecimentos que marcaram e influenciaram profundamente sua vida, ela passou a escrever o seu cotidiano em um diário. No presente, ao acaso, o diário foi descoberto e segredos revelados, muitas vidas foram mudadas para sempre com um final realmente surpreendente. 

 

Dizem que os personagens têm muito do autor. Qual dos personagens de “Luna Lina – A menina que semeava ecos” tem mais de você? Por quê?

Júlio Alves - Já me fizeram essa pergunta. Eu defino que sou o livro, não me vejo em um personagem especifico, de modo pontual, algumas situações apresentam similaridades com minhas atitudes.

 

Se pudesses descrever o teu livro “Luna Lina – A menina que semeava ecos” numa só palavra, que palavra seria?  

Júlio Alves – Inspiração

 

Onde podemos comprar o seu livro?

Júlio Alves - Compras direto com o autor pelo e-mail: julio.dsn@hotmail.com ou blog:  https://juliodsn.worpress.com  

 

Qual o tipo de textos que gostas de ler?  

Júlio Alves - Sou eclético em relação as categorias literárias, sempre fui muito exigente, do escritor húngaro Ferenc Molnár autor do livro Os Meninos da Rua Paulo, O Diário de Anne Frank ao consagrado estilo de Stephen King e Kazuo Ishiguro, não me considero um leitor voraz, entretanto estou sempre à procura de histórias interessantes.

 

O que mais o encanta na leitura destes tipos de textos?

Júlio Alves - Ineditismo

 

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor o escritor Júlio Carlos Alves. Agradecemos sua participação na Divulga Escritor: Revista Literária da Lusofonia. Que mensagem você deixa para nossos leitores?

Júlio Alves - Deixo uma frase do livro LUNA LINA A Menina Que Semeava Ecos:  “Aprenda a não temer o desconhecido, confiar na escolha da alma e acreditar além dos sentidos”.  Obrigado pela oportunidade.

 

Divulga Escritor unindo Você ao Mundo através da Literatura

https://www.facebook.com/DivulgaEscritor

divulga@divulgaescritor.com

 


 

Fonte: Divulga Escritor

Conheça o maior projeto NACIONAL de apoio a nossa literatura em:

www.divulgaescritor.com/



 

Entrevistas Literárias.

Divulga Escritor por Shirley M Cavalcante.

              É com imensa alegria que anuncio a mais nova parceria da família literária “Escritor Leandro Campos Alves”.                 Hoje estamos iniciando mais...

Claudia Banegas - Entrevistada por Alexandra Vieira de Almeida.

    Por Alexandra Vieira de Almeida –  Doutora em Literatura Comparada   Cláudia Banegas nasceu em Recife, PE e escreve poesias desde os 12 anos, mas só publicou seu primeiro livro no ano de 2007, “Metamorpho – Transformações nos Ciclos da Vida”, pela...

Rita Pinheiro - Entrevistada por Shirley M. Cavalcante.

        Rita Pinheiro nasceu numa pequena cidade do Estado de Goiás, num ano de muitos avanços tecnológicos. Ano este, que o homem pisou na lua. Atualmente mora com o marido e os dois filhos na cidade de Franca (SP). Sempre foi atraída pela ideia de o ser...

Aimee Oliveira - Entrevistada

por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Aimée significa amada em francês. Fora isso, de francesa não tem nada. Formada em Design de Moda, sem ser fashion e estudante Roteiro para Cinema há quase um ano, quer viver de escrever. Apreciadora de café e reprises, adepta ao movimento...

Carla Ribeiro

    por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Carla Maria Cardoso Ribeiro, tripeira de Paranhos, nascida em 7 de Março de 1971. Tenho 44 anos, sou divorciada e mãe de um filho lindo de 16 anos. Fiz os meus estudos no Porto, tendo feito o secundário na...

Marta Maria Niemeyer

      Por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Meu nome é Marta Maria Niemeyer. Nasci em Senador Firmino MG. Moro no Rio de  Janeiro. Casada com Jorge, temos uma filha seu nome é Aline, sou contadora de histórias e gosto de fazer trabalhos voluntários...

Marcio Campos, autor de livro sobre o Caso Eloá.

"Foi uma tremenda derrapada da imprensa", diz Marcio Campos, autor de livro sobre o Caso Eloá   Por Thaís Naldoni/Redação Portal IMPRENSA       Há quase dois meses - em 13/11 - começava um sequestro na cidade de Santo André, região metropolitana de São Paulo...

Giovane Santos - Entrevistado

    Por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Giovane da Silva Santos é mestre em Ciências da Literatura pela UFRJ. Romancista, roteirista e contista, leciona Literatura há 18 anos na rede estadual do Rio de Janeiro. Tem artigos na revista on-line Garrafas e cursou a...

Tito Mellão Laraya.

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)   Tito Mellão Laraya, nome artístico de Francisco Mellão Laraya, advogado, músico clássico, com os seguintes livros editados: “Tito e o Pé de Sonho”, “A descoberta: o não tempo”, “Um sonho dentro de um sonho”, “Exames”, Textos Barrocos”, “O Grão...

Wilson Sylvah

Por Shirley M. Cavalcante (SMC)            Nascido em Ubiratã, Paraná em 1963, criado no orfanato Lar Evangélico Estrela de Belém em Mandaguari, até os 20 anos, passei de vendedor de ovos na infância, para balconista de supermercados, servindo...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>