Jorge Amado.

 Jorge Amado.

 

 

 
 
 
        Jorge Amado faria cem anos em 2012. O escritor que deu expressão à identidade da Bahia e do povo brasileiro, será homenageado no Brasil. As comemorações na Bahia, terra natal do escritor, começaram já em 2011.
        Em 2012, Jorge Amado completaria cem anos. A efeméride vai ser celebrada este ano por todo o Brasil, com especial enfoque na Bahia, local onde o escritor nasceu e se inspirou e que já começou a fazer a festa.
        Durante as comemorações do centenário de Jorge Amado, haverá exposições, cinema, debates e novos lançamentos da sua obra, como é o caso da caixa comemorativa, "As Mulheres de Jorge Amado", com os romances "Tieta do Agreste", "Dona Flor e Seus dois Maridos", "Gabriela Cravo e Canela" e "Tereza Batista Cansada da Guerra". A Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense desfilará, a 16 de fevereiro, em honra do escritor e o Carnaval de Salvador terá como inspiração o universo de Jorge Amado.
        Jorge Amado nasceu em Itabuna, na Bahia, a 10 de agosto de 1912. A sua infância foi maioritariamente passada em Ilhéus onde aprendeu a ler, inicialmente, pela mão da mãe. Dessa infância, o escritor trouxe para a sua obra as experiências de vidas no mar, o universo da cultura do cacau e as disputas pelas terras.
        Amado começou a escrever aos 14 anos como jornalista no Diário da Bahia, no Imparcial e no Jornal. Na década de 30, transferiu-se para o Rio de Janeiro para estudar Direito. Nessa altura travou conhecimento com intelectuais de esquerda e tornou-se membro do Partido comunista Brasileiro (PCB).         Em 1931, publicou o seu primeiro romance, "O País do Carnaval". Nos anos seguintes, os seus ideais de esquerda acabariam por conduzi-lo a quatro prisões e ao exílio.
        Em 1945, foi eleito deputado federal pelo PCB e, nesse mesmo ano, conheceu Zelia Gattai, com quem casou, teve dois filhos e viveu até aos seus últimos dias. Durante a década de 40 e 50, Jorge Amado viajou pela América Latina, Leste Europeu e União Soviética. A sua militância política caracterizou-se pela tentativa de aprovação de projetos de lei como a liberdade religiosa.
Uma vasta produção literária
        Em 1950 o escritor rompeu as suas ligações ao PCB porque, segundo afirmou, esse engajamento impedia-o de ser escritor. A partir dessa altura a sua literatura passou a caracterizar-se pelo humor, pela sensualidade, pela miscigenação e pelo sincretismo religioso, como é o caso de obras como "Gabriela, Cravo e Canela" (1958), "A Tenda dos Milagres" (1969) ou "Tieta do Agreste" (1977). As obras possuem toques de picaresco, sem perder essência de crítica social e a poética que as caracteriza.
        Jorge Amado foi eleito, em 1961, para a cadeira 23 da Academia Brasileira das Letras. No mesmo ano publicou "Os Velhos Marinheiros". Seguiu-se a publicação de "Os Pastores da Noite" (1964) e "Dona Flor e os Seus Dois Maridos" (1966), onde o autor retomava temas da infância, o misticismo ou a turbulência popular. Numa prosa de sabor poético, a sua empatia singular transportou os negros, os humildes e os marginalizados para as narrativas ricas de sentimento humano e de amor à sua terra natal. Jorge Amado identificou várias vezes a sua personagem como sendo o povo, em movimento na beleza da paisagem, para chegar a um cais de misérias várias: desde a vida difícil dos negros da cidade, aos trabalhadores explorados no campo pelos coronéis feudais e latifundiários do Brasil.
        O romântico contador de histórias, como ele próprio preferia intitular-se, foi reconhecido e ganhou prémios de literatura de língua portuguesa, como o prémio Camões (1995), o prémio Jabuti (1959 e 1997) e do Ministério da Cultura (1997). A partir da década de 80 passou a viver entre Salvador e Paris. Jorge Amado conviveu com personalidades como o poeta chileno Pablo Neruda, o casal Jean-Paul Sartre & Simone de Beauvoir e Picasso. O cantor Caetano Veloso, Oscar Niemeyer e o artista plástico Moacyr Scliar, também estão entre os amigos presentes ao longo da sua vida.
        Escreveu romances, novelas, literatura infantojuvenil, poesia, teatro, contos, guias de viagem e relatos autobiográficos. A sua obra encontra-se publicada em mais de cinquenta países e foi adaptada com sucesso para rádio, cinema, televisão e teatro. As suas personagens tornaram-se parte indissociável da vida brasileira. Jorge Amado faleceu a 6 de Agosto de 2001 na cidade de Salvador. A seu pedido, o corpo foi cremado e as suas cinzas espalhadas em volta de uma mangueira da sua residência, no Rio Vermelho.



Fonte: www.centenariojorgeamado.com.br/Midia.aspx?publicacao=170
(Jornalismo Porto Net)

 

Biografias de Escritores Brasileiros.

Alexandre Magno

    Alexandre Magno Barbosa dos Santos, nascido em São Paulo próximo as Margens do Rio Ipiranga em 18 de outubro de 1969, graduado em Pedagogia especialista em Diversidade Cultural e Direitos Humanos, pós-graduação em Educação Inclusiva (PcD – Pessoa com Deficiência). Coordenador de...

Sergio Diniz da Costa

    SERGIO DINIZ DA COSTA, natural de Sorocaba (SP), é escritor, poeta, radialista, revisor de livros, membro da Academia Sorocabana de Letras e um dos editores do Jornal Cultural ROL. Autor dos livros: Elegantia juris: o argumento eloquente; Etéreas: meus devaneios poéticos;...

Claudia Lundgren

       Claudia Lundgren, 47, natural de Teresópolis, é escritora e Educadora Infantil.     Ocupa a cadeira 138 da Academia de Artes, Ciências e Letras do Brasil (ACILBRAS), a cadeira 50 da Academia Independente de Letras (AIL) e é Membro Efetivo da Sociedade...

Leslie Ceotto Deslandes

    Leslie Ceotto Deslandes é mineira da capital que ultrapassa os limites de ser mãe, avó e esposa. A escritora de diversos gêneros, em sua poesia dá voz as mulheres e sonhos.      Contadora de histórias com especialização em Adolescência pela FELUMA BH/MG, e é...

Sinara Foss

    Sinara Foss nasceu no interior de Santo Antonio da Patrulha, em Taquaral, em 1969.     Escreve desde criança. Em 1996 lançou seu primeiro livro Memórias de Um Cachorro Velho. Por gostar muito de animais, além de vegetariana, ajuda a Ong Animal Shelter, a qual...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>