Isa Ma da Silva

Isa Ma da Silva

        Maria Aparecida da Silva, nascida em Barra Mansa, RJ, no dia 21-08-51, empresária de moda e beleza, aposentada!

        Estudou no Grupo escolar Henrique Zamith e Barão de Aiuruoca, divorciada, três filhos e três netos.

       Juntamente com duas amigas fez um grupo de poesias, e passou a conviver diariamente no bate papo do mesmo. Hoje administra dois grupos.

        Ao se misturar com os poetas se sentiu desafiada a escrever, começou timidamente a escrever no dia 03-03-2016. Já tem mais de 200 poemas e uns poucos contos escritos, participou da Antologia Encontros Di Versos e um e-Book. Autodidata, assina seus versos como Isa Ma da Silva, Isa é o nome como é conhecida e M.A. da Silva é sua assinatura em documentos.

 

 

POESIA

 

A poesia fascina, o garboso verso etéreo,

que desliza na solidão sufocante.

Poesia, puro encantamento,
ao folhear o livro, sentir a textura,
do papel sedoso, o cheiro.
As letras em minha frente, a bailar
palavras de uma profundidade poética, incrível.
Sensibilidade a jorrar, no solo límpido
do papel em brancas nuvens,
a formar frases em doces melodias.
O lirismo do violino, soltando notas
no ar despoluído das rimas
atravessando meu dia de névoa outonal.
A poesia fascina, o garboso verso etéreo,
que desliza na solidão sufocante.
Na noite clara de lua, vejo a solitária poesia,
em delírios? a navegar, nas pontas dos dedos.
Tecendo mosaicos? de pequeninos sonhos,
em águas claras fugidias, unindo letras
da aurora, nascidas em metáforas arrepiantes.
Desprovida de atropelos e amargor?,
poemando a distância que separa e une.
A punjança que alimenta os oceanos ao léu
Ânsia incontida, nos olhos pulsantes e ardentes,
exaurindo o vulcão em lavas libidinosas,
nas chamas riscadas de giz.
Poesias destilada da mente pulsante.

 

Poema: Poesia

Autoria: Isa Ma da Silva

 

 

 

O Tempo

 

O tempo é algo muito ingrato e terrível 
Ele nos leva a beleza, leva o amor 
Desunindo pra sempre, como as areias nas águas.

 

Ele seca as palavras e também a saudade 
Leva as lembranças e seca as lágrimas 
Só deixa, nas paredes os retratos de família

 

Os corpos vão vagando secos, e a cabeça oca
O tempo seca o desejo e seca o amor
Seus ciúmes, disputas, as loucuras e beijo na boca

 

As conquistas e vitórias, das lutas do cotidiano 
Os vestígios dos desesperados e famélicos 
Não dá pra esperar pelo ingrato tempo
A fome é hoje, é agora... O tempo aqui é maquiavélico

 

Ódio e inveja, deixe o tempo para longe levar
Não faz bem a ninguém, muito menos a quem odeia 
Esperar pelo tempo, num tempo de alegria para então amar...

 

Poema: O Tempo

Autora: Isa Ma da Silva

 

 

 

Oração do Silêncio

 

Já que o surdo silêncio é mudo
E que nele posso voar sem rumo 
Não respondas nunca 
Ás perguntas mais urgentes
Aquelas, que te fiz calada

 

Deixa-me então ser feliz 
Agora, tão longe de ti dentro de mim

 

No silêncio, na inquietude da dor
perdemos a vida, e meu desejo de viver, é tanto 
Que em mim a chuva foi tempestade
Quando, foi finito o nosso amor

 

O tempo... Aquele ingrato já passou 
Hoje já há paz, e calmaria

 

Não perturbes a paz a mim regalada
Se ouço novamente a tua voz
Seria matar a sede, bebendo água salgada...

 

Poema: Oração do Silêncio

Autora: Isa Ma da Silva

 

 

Meu Silêncio

 

O silêncio cala, o dilacerado e pulsante coração 
O silêncio a alma e á Deus, fala com fervor
minh'alma tristonha, chora o pranto da saudade
O barulho do silêncio é ensurdecedor

 

Ele pára nessa hora, a nos ouvir com amor de mãe 
Manda seus Anjos nos proteger sob suas asas
Nos ilumina, direcionando os nossos caminhos

 

Em suas asas podemos voar e planar 
Em canteiros de jasmins, a perfumar minha vã existência 
Sem amor, chovendo na alma vazia, a flutuar

 

O silêncio e os anjos me levam a qualquer canto 
Não se via ou ouvia nenhum barulho, nem um riso de luz
No mar calado, não havia o barulho das ondas, encanto

 

Não dá pra fotografar o imperturbável silêncio 
Pra mostrar ao meu grande e perdido amor
Mas, fotografei o perdão azul e a nuvem vestida de branco
Caiu mais uma vez, uma profunda quietude no meu silêncio...

 

Poema: Meu Silêncio

Autora: Isa Ma da Silva.

 

Fontes: Grebal - Link

 

 

Todos os direitos são reservados a autora, conforme lei (9.610/98).

 

Escritores Convidados.

Barão da Mata.

              No caminho da vida conhecemos muitos amigos, alguns daqui, outros de acolá, mas com uma peculiaridade em comum entre eles. Em nossa primeira visão somos cometidos ao erro de imaginar como elas...

O Sol e a Lua, por Leu Siva.

              O romance nasce através dos olhares perdidos, dos afagos recebidos e das palavras bem ditas.         Como o Sol, astro forte e masculino que nos abraça e...

Cavalheiro Verardo Neto.

              O caminho literário é surpreendente; quando pensamos que autores, poetas e trovadores só estão nas grandes cidades, eis que descubro próximo a minha cidade um amigo de letras e poemas, natural de uma...
<< 3 | 4 | 5 | 6 | 7