II Prêmio Gonzaga de Carvalho 2017.

II Prêmio Gonzaga de Carvalho 2017.

CLASSIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO 

        A Diretoria Executiva da Academia de Letras de Teófilo Otoni, após análise dos trabalhos pela Comissão Julgadora, RESOLVE: homologar o resultado do II Prêmio Literário Gonzaga de Carvalho, com o seguinte resultado: 

 

Categoria: Poesia 

Classificação geral 

Primeiro Lugar: “Tempo”, Águida Pereira Martins Silva Almeida, Caratinga-MG; Segundo lugar:“Vida e Solidão”, Marcos Coelho Cardoso, Dourados-MS e Terceiro lugar:.”Madrugada”, Celso Gonzaga Porto, Cachoeirinha-RS. 

 

Menções Honrosas: 

 

4º lugar: “Trem mineiro”, Paulo Cesar de Almeida, Andrelândia-MG; 5º lugar: “Teia de aranha”,  Geraldo de Castro Pereira,  Vila Velha-ES; 6º lugar: “Lampejo”,  Fernando Catelan, Mogi das Cruzes-SP; 7º lugar: “Eu aprendi”, Wallace Gomes Moraes,  Itambacuri-MG;  8º lugar: “Sentimentos”,  Cláudio de Almeida Hermínio,  Belo HorizonteMG; 9º lugar; “A flor contra o terror”,  Marcelo de Oliveira Souza, Salvador-BA;  10º lugar; “Senhor poeta”, Cláudio de Almeida, São Paulo-SP; 11º lugar: “Grão”, Amalri Nascimento, Rio de Janeiro-RJ; 12º lugar; “Onde moro”, Margareth das Dores Rafael Moreira Costa, Itambacuri-MG; 13º lugar: “Que se movam os moinhos”, Cosme Custódio da Silva, Salvador-BA; 14º lugar: “O amor”, Odenir Ferro, Rio Claro-SP e 15º lugar: “Dias e noites”, Décio de Moura Mallmith, Porto Alegre-RS. 

 

Categoria: 

Crônica Classificação geral 

Primeiro Lugar: “Encontro de rios”, Vânia Rodrigues Calmon, Vila Velha-ES; Segundo lugar: Retratos do meu tio”, Coracy Teixeira Bessa, Salvador-BA e Terceiro lugar; “Sorriso de graça” Amalri  Nascimento, Rio de  Janeiro-RJ.  

 

Menções Honrosas: 

4º lugar: “Crônicas de uma rotina diferente”, Emanuela Rufino de Lima Melo, Recife-PE; 5º lugar: “Novembro azul”, Leandro Campos Alves, Caxambu-MG; 6º lugar: “Gaveta do tempo”, Teresa Azevedo, Campinas-SP; 7º lugar: “No lugar dos outros, todo mundo é bom”, Lucivalter Almeida dos Santos, Nazaré-BA; 8º lugar: “Que cara de pau!”, Maria Francisca dos Santos Lacerda, Vila Velha-ES; 9º lugar: “Uma nova fênix ressurge...e tem uma denominação... solidariedade”, Eloisa Antunes Maciel, São Martinho da Serra-RS; 10º lugar: “Valdivino ‘Gentileza’ Pereira”, Almir Zarfeg, Teixeira de Freitas-BA; 11º lugar: “A vida é tão rara”, Érika Lourenço Jurandy, Rio de Janeiro-RJ; 12º lugar: “Verdade revelada”, Adevaldo Rodrigues de Souza, Belo Horizonte-MG; 13º lugar: “Na carona”,  Marcelo de Oliveira Souza, Salvador- BA; 14º lugar: “Riscos e possibilidades, uma chance de felicidade”, Marcos Coelho Cardoso, Dourados-MS e 15º lugar: “A letra‘C’ transformada em rabinho”, Helena Selma Colen, Ladainha-MG. 

 

    Do presente termo com o resultado sejam emitidas 02 (duas) vias de igual teor, devidamente assinadas. Dê ciência aos classificados e ampla divulgação do fato. 

 

Teófilo Otoni/MG, 21de agosto de 2017.   

 

PROFª ELISA AUGUSTA DE ANDRADE FARINA   Presidente             

PROF. WILSON COLARES DA COSTA Secretário-Geral

 

Crônica Finalista.

 

Novembro Azul.

 

        João é um jovem de vinte poucos anos que irradia alegria e simpatia, arrimo de família o jovem cuida de sua mãe e de seus irmãos mais novos. Seu principal defeito é ser namorador que só, fama esta que ele se orgulha por ser viril e muito “pegador”.

        O que João não esperava era que todo homem um dia falha na cama da luxúria e do desejo e com ele não seria diferente.         Tudo aconteceu na noite que ele estava nos braços de Márcia, uma jovem de dezenove anos exalando amor e desejo, com o corpo escultural que atraía olhares onde passava, porém pouquíssimos tinham a oportunidade de deitar-se na luxúria do amor entre seus braços.

        Naquela noite mesmo entre carícias e toques, nada aconteceu, o olhar de Márcia era extremamente decepcionante, ela estava se achando a mulher mais feia do mundo, pois não era capaz de levantar o moral de seu amante.   Após aquele momento João procurou ajuda médica para pedir algum estimulante sexual, porém o médico quis primeiro fazer uma bateria de exames para ver o motivo da causa, que no início parecia motivado pelo estresse.   Mas o exame acusou uma alteração no sangue, o que levou o médico a pedir um PSA e o exame de toque retal. João esbravejou, gritou, xingou o médico afirmando que nele ninguém encostaria a mão, pois ele se orgulhava de ser intocável.

        Mas a ironia do destino levou o jovem ao hospital três meses depois com dores abdominais, e entre um exame e outro, o impensável aconteceu, e pelo toque retal se descobriu que João estava com tumor maligno na próstata já adiantado, a única solução foi tirar totalmente sua próstata, e assim foi feito.

        Quem diria?  Um jovem com tumor maligno na próstata?  Sua família descobriu da pior forma que câncer na próstata não tem idade, e que sintomas simples como a falha na relação pode ser o início do fim.

        Para a família de João o resultado foi diferente, pois mesmo tardio ele se recuperou.

        E a jovem Márcia?

        Quatro anos depois Márcia ainda exalava desejo e saúde, e foi num salão de beleza que a história dos amantes do passado se entrelaçaram, pois ao entrar no salão Márcia deparou com uma moça linda, cabelos longos, cintura fina e uma feminilidade que atrai todos os olhares, porém aquela jovem parecia muito familiar para Márcia. Enquanto esperava ser atendida Márcia descobriu que aquela jovem que tanto lhe chamava atenção era Estefani, o nome usado agora por João. O mesmo jovem que um dia Márcia entregou-se em seus braços, que por seu orgulho besta perdeu a fama que mais o agradava.

        E você? Qual o tamanho de seu orgulho?

 

Crônica Novembro Azul.

Leandro Campos Alves.

Agosto de 2017.

 

Prêmios, artigos e homenagens.

Imortalidade Acadêmica.

Imortalidade Acadêmica. Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes. Medalha Mérito Acadêmico. Decreto Acadêmico Nº 0430.006/2019         O Presidente da Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes – FEBACLA, no uso de suas...

Medalha Palatino da Literatura Brasileira.

Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes. Registro de Pessoas Jurídicas nº 15.088 Livro A-2B Cartório do 8º Ofício de Nova Iguaçu – RJ.   Medalha Palatino da Literatura Brasileira.   Medalha Palatino da Literatura Brasileira é uma condecoração criada pela FEBACLA –...

Título de FILÓSOFO HONORÁRIO

Federação Brasileira dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes, sob a proteção da augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente. Registro de Pessoas Jurídicas nº 15.088 Livro A-28 Cartório do 8º Ofício Comarca de Nova Iguaçu – RJ.       O presidente da...

Acadêmico ALPAS 21 está no RankBrasil.

    Leandro Campos Alves é o autor do O Viajante, maior poema brasileiro, com 2.022 estrofes e 10.875 versos.       Sou natural de Liberdade, uma cidade com população estimada de 5.000 habitantes situada no sul da Zona da Mata Mineira.     Nasci no...

Certificado Engenho das Palavras

Agradeço ao Engenho das Palavras, sobre a coordenação da Escritora Miranda May, a certificação do projeto Tecendo Tramas e Dramas, pela qual tenho dois trabalhos selecionados e publicados pela editora Amazon – A Fênix Rediviva.   Os antólogos desta obra só tem a parabenizar a organização do...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>