Filosofia Interior.

Filosofia Interior.

Foto Pixabay

F echo os olhos,

I nternando-me em meu eu.

L onge de todos e do mundo,

O rganizando os meus sonhos mais profundos.

S equestrando minha vida,

O ferecendo-me em silêncio,

F ico em plena meditação,

I nerte eu permaneço em alfa,

A companhando o bater do coração.

 

I mpulsivo eu me lembro do passado,

N uma reflexão profunda de meu ser.

T otalmente imune aos meus sentimentos,

E levando-me ao amadurecimento de meu viver.

R etenho aos pensamentos,

I ntrodutórios de minha memória,

O rbe fora da presença humana,

R essabido da vida tão contraditória.

 

R essoa ao longe,

O ferendas de vidas passadas,

I mensamente a mim tão ligadas.

R etraindo-me ainda mais profundamente,

E m visões então projetadas,

T razidas ao quadro de minha mente,

N o momento tão pertinente,

I ntimamente a minha história contada.

 

A brisa da filosofia veste meu corpo,

I ndagando a minha vida e suas passagens,

F icando eruditas em poemas estas mensagens.

O utorgada por Deus e meus sentimentos,

S olitários no mundo inclusos em meu eu,

O utrem até então não me conheceu,

L ivre de minha couraça,

I líada nesta sociedade,

F icaram aqui escritas para a eternidade.

 

 

 

 

Leandro Campos Alves.

Livro de poemas e crônicas "Sonhos"

Clube de autores & Publique Saraiva 

2016.

 

 
Número de páginas: 101 

Edição: 1(2016) 

Formato: Pocket 105x148 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura s/ orelha 

Tipo de papel: Offset 75g

 

 

 

 

 

 

 

 

 

www.clubedeautores.com.br/book/206358--Sonhos?topic=mensagens#.VwWSpPkrLIU

 

 

 Todos direitos estão reservados a autor  conforme artigo (Lei 9610/98).

 

 

 

Meus Poemas.

Brumadinho.

Sombra a morte, no vale do desespero. Estrondoso dia, de lama, dor e enterro.   Fúria da natureza, na ruptura da obra humana. Desrespeito da força estática, levando no torso a dor, água e lama.   O vale se faz noite, o choro ecoa e reclama. A saudade daqueles, que deixou aqui quem os...

Grande final da Liga Mantiqueira de Motocross, em Liberdade MG.

        O ronco dos nossos motores, chora em silêncio a sua partida. Valeu Companheiro.                           Gabriel Ribeiro #13 Autor da Frase: Leandro Campos Alves.   Homenagem...

A morte!

A morte expressa o medo. Mas que medo? Medo do que? Nascemos e somos levados ao batismo, cremos em Cristo, na ressurreição e na vida eterna. Então não seria a morte a consagração do que na vida esperamos?   Aos que vão, o silêncio! Aos que ficam, o choro! Aos incrédulos, a desilusão!   A...

Silêncio

O pensamento voa, na calada da noite. E no silêncio do dia! Meu peito agoniza.   Os momentos da vida, ficam restrito nas lembranças. O tempo com a vida passa, e envelhecemos com ele.   Com o amadurecimento... Sinto a frieza da alma, na quietude do seu silêncio.   Sombrio...

Soneto de la vida

Nuestros cuerpos entrelazados, sin remordimiento y pecado, me lleva al éxtasis del placer, al poseer usted.   Gritamos y amamos, El placer rompe el silencio de la noche, como la propia noche, que se pierde al amanecer.   Las memorias permanecen, sin miedo y consecuencias, sin hijos o...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>