Carta da Anunciação.

Carta da Anunciação.

No caminho da vida,

muitas coisas vi e vivi.

Vi o nascer da criança,

ainda no ventre da mãe.

Trouxe o prenúncio da morte,

deixando-me à beira da desilusão,

por profetizar a perda e nada poder fazer,

para driblar a morte e deixar alguém viver.

 

Vi em meu leito a imagem do anjo.

Senti o aroma dos lírios,

anunciando a sua presença.

Mesmo sendo contra a minha crença,

com ele falei,

e de meus entes queridos conversei.

 

Na saudosa imagem de uma mulher,

o anjo revelou minha sina.

 

Acordado eu os vejo,

falo e recebo prenúncios.

As bênçãos trazidas são muitas,

mas também revelam perdas e partidas,

de pessoas queridas.

Em suas asas carregam a vida,

e distribui o anúncio da morte.

Por este dom recebido,

consigo ver a minha realidade,

e os passos de meu destino.

 

O passado já era,

mas o futuro que está a nossa frente,

pode assustar muita gente.

 

Pelos lábios deste arcanjo amigo,

recebi o anúncio de minha partida.

Doce, leve, silenciosa e sem sofrimento,

que acontecerá em meus aposentos.

Mas que não assustem os que lerem esta carta,

porque não foi revelado qual será o meu tempo.

 

Porém pela imagem jovial que vi,

não assustem se um dia a notícia se confirmar.

Pois posso saudável um dia ir dormir,

e ao alvorecer,

a este mundo poderei não mais pertencer.

 

Mas a todos aviso que fiquem em paz,

pois sóbrio pela fé não haverá temor,

ao chegar a partida aqui referida,

que acontecerá ao lado de meu verdadeiro amor.

 

Porém se for de minha vontade,

afirmo que ainda por aqui ficarei,

para azucrinar o povo que amo,

por muitos anos pela minha vontade viverei.

 

Mas se este dia logo chegar,

não chorem pela minha ausência,

porque nos braços de Deus irei acordar,

e a todos que amo irei de lá cuidar.

 

 

Leandro Campos Alves.

Livro de poemas e crônicas "Sonhos"

Clube de autores & Publique Saraiva 

2016.

 

Foto: Imagens gratis - Pixabay

 

 
Número de páginas: 101 

Edição: 1(2016) 

Formato: Pocket 105x148 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura s/ orelha 

Tipo de papel: Offset 75g

 

 

 

 

 

 

www.clubedeautores.com.br/book/206358--Sonhos?topic=mensagens#.VwWSpPkrLIU

 

 

 Todos direitos estão reservados a autor  conforme artigo (Lei 9610/98).

Meus Poemas.

Brumadinho.

Sombra a morte, no vale do desespero. Estrondoso dia, de lama, dor e enterro.   Fúria da natureza, na ruptura da obra humana. Desrespeito da força estática, levando no torso a dor, água e lama.   O vale se faz noite, o choro ecoa e reclama. A saudade daqueles, que deixou aqui quem os...

Grande final da Liga Mantiqueira de Motocross, em Liberdade MG.

        O ronco dos nossos motores, chora em silêncio a sua partida. Valeu Companheiro.                           Gabriel Ribeiro #13 Autor da Frase: Leandro Campos Alves.   Homenagem...

A morte!

A morte expressa o medo. Mas que medo? Medo do que? Nascemos e somos levados ao batismo, cremos em Cristo, na ressurreição e na vida eterna. Então não seria a morte a consagração do que na vida esperamos?   Aos que vão, o silêncio! Aos que ficam, o choro! Aos incrédulos, a desilusão!   A...

Silêncio

O pensamento voa, na calada da noite. E no silêncio do dia! Meu peito agoniza.   Os momentos da vida, ficam restrito nas lembranças. O tempo com a vida passa, e envelhecemos com ele.   Com o amadurecimento... Sinto a frieza da alma, na quietude do seu silêncio.   Sombrio...

Soneto de la vida

Nuestros cuerpos entrelazados, sin remordimiento y pecado, me lleva al éxtasis del placer, al poseer usted.   Gritamos y amamos, El placer rompe el silencio de la noche, como la propia noche, que se pierde al amanecer.   Las memorias permanecen, sin miedo y consecuencias, sin hijos o...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>