Bodas.

 Bodas.

 Bodas.



Não quero o seu sacrifício,
quero a sua felicidade.
Por isso eu me realizo,
com a nossa cumplicidade.

Digo isso com a certeza,
porque não vejo só a sua beleza.
Temos uma afinidade,
que foge a realidade,
das razões da nossa sociedade.

Nossa amizade é de alma,
e isso me acalma.
Quero muito bem a você,
por isso lhe dedico este poema,
com este belo tema.

Você não é só uma simples mulher,
esposa, mãe ou companheira.
Você é a pessoa,
que escolhi como minha metade, 
para toda eternidade.

Por isso além de te amar,
quero deixar em versos meu registro,
o tamanho de nosso amor,
que sobrevive após tantos anos de casados,
sempre juntos e ligados.
Por este forte laço, 
deixo este poema,

                                 para ficar eternizado.                                 

                              

 Leandro Campos Alves.

Poema da antologia Além do Olhar.

ISBN: 978-85-8290-025-3

2014

 


 

Obrigado aos meus amigos leitores pela visita, e fiquem com Deus.

 

 
Número de páginas: 103 

Edição: 1(2015) 

Formato: A5 148x210 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura c/ orelha 

Tipo de papel: Offset 90g
 

Meus Poemas.

Bodas.

 Bodas. Não quero o seu sacrifício, quero a sua felicidade. Por isso eu me realizo, com a nossa cumplicidade. Digo isso com a certeza, porque não vejo só a sua beleza. Temos uma afinidade, que foge a realidade, das razões da nossa sociedade. Nossa amizade é de alma, e isso me...

Vida, por Leandro Campos Alves.

Vida.   Não sei se vivo a vida, ou se é ela que vive em mim, sendo apenas minha grande amiga, ou quem sabe outrora, minha própria inimiga.   Sou instrumento de seus desejos, que sendo ela moleca, e sorrateira, algumas vezes se faz de zombeteira.   Acordo em minutos e...

Tempo, por Leandro Campos Alves.

   TEMPO.    Gostaria de ter o poder sobre o tempo, tempo saudoso, tempo virtuoso,  mas cruelmente maldoso.  Ah passado distante da vida real,  presente indiscreto,  e futuro incerto.  Juventude perdida,  num laço...

Menção de Despedida, por Leandro Campos Alves.

            Minha homenagem a poetiza.             Leticia de Barros 1972 a 2014            Menção de Despedida.    Hoje a perda bate a porta. Perda dolorosa. Perda nobre. Que dói e vai deixar muita...

Minha Prece ao Senhor, por Leandro Campos Alves.

          Algumas vezes na vida, olhamos para o que temos a ganhar no futuro, e o que ganhamos no passado, porém esquecemos-nos de olhar para cima ou para dentro de nossos sentimentos, e ver quem realmente é nosso...

Resposta Divina, por Leandro Campos Alves.

Resposta Divina.           O nosso caminho é penoso e distante, nosso corpo sente dor e cansaço, e ao longe enxergamos nosso destino e seguimos viagem. Muitas vezes, olhamos para o horizonte de nossas vidas e clamamos ajuda a...

Louco Carrossel, por Leandro Campos Alves.

Louco Carrossel.     A vida é como um carrossel. Louco carrossel.   Com o nosso nascimento adquirimos direito ao seu passe. Embarcamos neste brinquedo com o nosso primeiro choro. E na roda da vida,                    ...

Celeiro de Minas, por Leandro Campos Alves.

Celeiro de Minas.   Cravada no seio de Minas, entre as montanhas da Mantiqueira, fica minha pequena cidade, com toda sua diversidade.   Mesmo trazendo neste livro, a minha filosofia interior, não posso deixar de mencionar, o celeiro de cultura, que flora na minha pequena cidade, isso...

Peteca do Destino.

foto pixabay dominio publico         Peteca do Destino.         Quando te ganhei, esposei em meus lábios o sorriso. E da surpresa da vida, então chorei.   Alegria em ter-lhe em minhas mãos, logo o seu feltro abriu. O aroma de sua juventude exalou-se pelo...

As Mãos que Afagam, por Leandro Campos Alves.

As Mãos que Afagam.     São minhas aquelas mãos. As mãos que afagam o seu sono, que segura e protege seu tombo.   São minhas aquelas mãos. As mãos que apoiam seu caminho, que acalenta seu coração, que te dá o porto...

Torre de Babel, por Leandro Campos Alves.

Torre de Babel.       O vento é o nosso polinizador de vidas, o responsável por levar a vida, dar a vida, conduzir a vida.   E com o seu veludo e delicado aconchego, ele leva sementes e pedalas aos quatro cantos do mundo.    E hoje como vento, lembro-me dos...
<< 1 | 2