Biografia do artista plástico Manoel da Silva

Biografia do artista plástico Manoel da Silva

    Manoel da Silva nasceu em Santa Luzia, Criciúma – Santa Catarina, é filho de Serafim Hercílio de Silva e Livramenta Fernandes da Silva, vem de uma família numerosa, sendo oito irmãos ao todo, cinco mulheres e três homens.

    Filho de um mineiro aposentado por invalidez, devido a problemas cardíacos, mudou-se para o interior de Nova Veneza/SC; na comunidade de São Bonifácio, conhecida até hoje pelo apelido de Vila Seca.

    A fim de aumentar a renda familiar foi trabalhar na roça. Ainda muito pequeno, aos três anos de idade, aconteceu uma tragédia em sua vida, ficou órfão de pai, um momento muito doloroso na vida de sua família, naquela época seu irmão mais velho tinha treze anos de idade e, a irmã mais nova apenas seis meses de vida.

    Devido a dificuldade, sua mãe que já tinha trabalhado cinco anos na escolha de Carvão Mineral, agora viúva e com oito filhos para criar, começou a trabalhar na roça. O jovem Manoel e seus irmãos comiam banana amassada com farinha de mandioca, amendoim e batata doce, estes alimentos foram por longo tempo a única a refeição da família.

    Desde cedo o trabalho fez parte da vida do jovem, dos oitos anos de idade aos doze, o jovem trabalhava na roça e depois do expediente cansativo da labuta embaixo de sol, ele ainda arrumava forças para ir as aulas, no colégio do interior de Nova Veneza.

    Aos treze anos de idade sua família mudou-se para Criciúma, lá começou trabalhar em uma olaria de tijolos, trabalho este muito pesado para homens erados, e o que dizer para um adolescente? Porém o serviço pesado não lhe impôs obstáculos para alcançar seus objetivos.

    Aos quinze anos de idade na companhia de seu irmão, o jovem começou a trabalhar de servente de pedreiro, serviço este que perdurou até seus dezenove anos.

     Mais tarde começou a seguir os passos de seu pai, trabalhando ele em uma mina de Carvão Mineral da cidade em que morava, onde trabalhou por vinte e dois anos, chegando a aposentar aos quarenta e dois anos de idade.

    Foi nesta época que o talento falou mais alto, pois já senhor, Manoel descobriu sua aptidão para as artes plásticas, desde então ele tornou-se artista autodidata.

    Hoje Manoel é um consagrado artistas plástico com uma técnica única, a arte em 3D, trabalho este que lhe rende várias homenagens e reconhecimento no meio acadêmico.

    Manoel da Silva, das minas de Carvão para a inspiração delicada da arte em 3D.

 

 

Conheçam alguns de seus reconhecimentos.

 

 

    O artista plástico Manoel da Silva recebeu o título de comendador e embaixador da paz da Organização Mundial dos Defensores dos Direitos Humanos (OMDDH). O criciumense foi homenageado com a comenda internacional Diplomata Ruy Barbosa “O Águia de Haia”, em razão dos trabalhos desenvolvidos com reciclagem e o meio ambiente.

     “Tenho muitos amigos no Facebook, de São Paulo e Rio de Janeiro, que participam de projetos assim. E um deles conheceu minha técnica, que é diferenciada, e me indicou para ser comendador da organização”, afirma o artista plástico.

    Manoel trabalhou como mineiro durante 22 anos. Aposentado há 14, encontrou na arte, um novo hobby. Com uma técnica criada por ele mesmo, as obras literalmente saem da tela. Com a utilização de argamassa, os quadros possuem um efeito 3D. Talento que o levou para o Artcom Expo International, um catálogo da Noruega que reúne trabalhos de artistas de 17 países.

    “Eu queria fazer algo diferenciado e desenvolvi essa técnica”, relata o artista, que leva cerca de 15 dias para produzir cada quadro.

    Manoel também foi premiado no Rio de Janeiro com um trabalho em escultura. Ele ganhou a medalha de bronze Sociedade Brasileira de Belas Artes com a     Nossa Senhora Aparecida feita com garrafa pet.

Fonte: Reporte Cidadão

dnsul.com/2018/geral/artista-criciumense-recebe-comenda-internacional/

 

Com técnica única, artista criciumense mais uma vez é catalogado no exterior

Este é o terceiro catálogo que as obras de Manoel da Silva são selecionadas

Por Mariana Noronha

 

    Depois de se aposentar como mineiro, Manoel da Silva, de 54 anos, começou a ocupar o seu tempo livre produzindo obras de arte, as quais contém uma característica única. Hoje, 15 anos depois, é um artista plástico reconhecido no mundo inteiro, e pela segunda vez teve uma obra selecionada para um catálogo internacional.

    O catálogo parte de uma iniciativa da Associação Internacional de Artistas e Escritores (Literarte), com sede no Rio de Janeiro, a qual Manoel é membro. Lançado, no dia 14 de agosto, em Foz do Iguaçu, o catálogo é uma homenagem à colônia italiana e deve circular por toda a Itália a partir deste mês. O artista já saiu também na Enciclopédia de Artistas e Escritores em Homenagem aos 800 anos da língua portuguesa, produzido pelo governo federal.

 

    Técnica única -  Segundo ele, desde que iniciou os trabalhos artísticos sempre procurou colocar nas obras um pouco da sua identidade. "Muitas obras diferenciam um artista de outro somente pela assinatura, e eu queria algo diferente. Queria que as pessoas olhassem para as minhas obras e já percebessem que elas são minhas", diz. Manoel trabalha com diversas técnicas, mas sua principal característica é a utilização da argamassa, deixando os quatros em evidência, como se fossem 3D. "Sou o único artista que trabalha com a argamassa, por isso acho que fui selecionado para esses catálogos, minha obras são diferenciais", comenta.

Fonte: ENGEPLUS

www.engeplus.com.br/noticia/variedades/2015/com-tecnica-unica-artista-criciumense-mais-uma-vez-e-catalogado-no-exterior/

 

Manoel da Silva: De mineiro a prêmios internacionais de arte

 

Artista criciumense foi homenageado com a comenda internacional Diplomata Ruy Barbosa

Por Erik Behenck Criciúma - SC, 

 

    Manoel da Silva trabalhou como mineiro por 22 anos e nos últimos 14 anos se dedicou a arte. Aos 57, acumula diversos prêmios como artista plástico. Ele procura colocar nas obras a sua identidade e garante ter criado uma técnica única no mundo.

 

    “Foi gratificante para mim, porque se torna um hobby. Eu inventei uma técnica para suporte de parede, que ninguém no mundo faz, já fui convidado para expor na Itália, na Espanha, mas tenho dificuldade com patrocínio”, afirmou.

    Recentemente ele foi homenageado com a comenda internacional Diplomata Ruy Barbosa “O Águia de Haia”, pelos trabalhos desenvolvidos com reciclagem e meio ambiente. Costuma utilizar argamassa nas criações, deixando os quadros com efeito 3D.

    “Eu gosto de ser reconhecido. Ai a obra ganha apreço, é preciso dar a cara a tapa”, destacou o artista. Também foi premiado no Rio de Janeiro com um trabalho em escultura, ganhando a medalha de bronze Sociedade Brasileira de Belas Artes, com a Nossa Senhora Aparecida feita com garrafa pet.

 

FONTE: Site 4oito

www.4oito.com.br/noticia/manoel-da-silva-de-mineiro-a-premios-internacionais-de-arte-2996

Notícias Diversas.

Lançamento literário na Casa da Música

    Acontece no dia 27 de maio (segunda-feira) um lançamento literário na Casa da Música (Parque do Abaeté, s/n – 71 3116-1512) durante o tradicional Sarau de Itapuã, que acontece a partir das 18h com entrada franca. São quatro escritores...

RESULTADO DO XV CONCURSO LITERÁRIO POESIAS SEM FRONTEIRAS

    Como sempre é chegada a grande hora, de finalizar a nossa Festa anual Poesias sem Fronteiras, muito contente com o resultado obtido a cada ano, ainda nesse ano corrente teremos o nosso evento do segundo semestre: VIII Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira...

47º cosmo Caxambu 2019

26 a 28 de setembro – Hotel Glória.       Em setembro acontecerá na cidade de Caxambu MG, o 47º congresso Sul Mineiro de Odontologia, onde Ciências, Arte e Confraternização que se unem em três dias memoráveis.     O evento será realizado nos dias 26,27 e 28 de...

Coletânea IMORTAIS III

    A Academia de Letras do Brasil / ALB, juntamente com a Editora Alternativa, após o sucesso dos sois primeiros volumes, tem a satisfação de convidar escritores de todo o Brasil para a Coletânea IMORTAIS III, cuja série já figura as maiores obras coletivas do país.    ...

Magnífico, simplesmente magnífico.

        Quero publicamente parabenizar ao Editor Rodrigo Starling, o responsável pela arte da capa da coletânea Jackson Abacatu, a revisora Isabella Bretz e ao fotógrafo da capa e contracapa Evandro Teixeira, pela excelência e competência na edição da Coletânea “Cem...
<< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>