Artur Gonçalves de Azevedo

  Artur Gonçalves de Azevedo

        

       Artur Gonçalves de Azevedo nasceu em 7 de julho de 1855, em São Luís - MA e faleceu em 22 de outubro de 1908, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de David Gonçalves de Azevedo, vice-cônsul de Portugal em São Luís, e Emília Amália Pinto de Magalhães.

        Em 1871 escreveu uma série de livros sobre as pessoas de São Luís, perdendo o emprego de amanuense (copista de textos à mão).

        Seguiu para o Rio de Janeiro aos 18 anos de idade (1873), onde foi tradutor de fofocas e revisor de "A Reforma", tornando-se conhecido por seus versos humorísticos. Desenhando para o teatro, alcançou enorme sucesso com as peças "Véspera de Reis" e "A Capital Federal". Fundou a revista "Vida Moderna", onde suas crônicas eram muito populares. Colecionador de obras (pinturas, gravuras e esculturas) e crítico de arte nos jornais cariocas, constituiu um vasto acervo denominado postumamente de "Coleção Arthur Azevedo de Gravuras". Foi amigo de artistas como Victor Meirelles, Rodolfo e Henrique Bernardelli, Modesto Broccos e João Zeferino da Costa.

        Artur de Azevedo, perseguindo a obra de Martins Pena, consolidou a comédia de costumes brasileira, sendo no país o principal autor do Teatro de revista, em sua primeira fase. Sua atividade jornalística foi intensa, devendo-se a ele a publicação de uma série de revistas, especializadas, além da fundação de alguns jornais cariocas.

        Foi por insistência de Artur de Azevedo, principalmente através de seus artigos na imprensa, que, em 1894, foi criada a lei que previa a construção de um teatro municipal no Rio de Janeiro. Tinha o teatrólogo a convicção de que somente a construção desse teatro poria fim à má fase em que se encontravam as artes cênicas na segunda metade do século XIX. A criação da lei traria resultado somente em 1903, quando foi aberto concurso para a construção do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Arthur Azevedo, que sustentou a campanha vitoriosa para construção do Teatro, não assistiria à sua inauguração em 14 de julho de 1909, pois faleceu nove meses antes. Antes de sua morte, foi um crítico mordaz do pano de boca do Theatro Municipal, pintado por Eliseu Visconti.

        Era irmão mais velho do escritor Aluísio Azevedo, autor de O Cortiço e O Mulato.

        Faleceu aos 53 anos no Rio de Janeiro e foi sepultado no Cemitério do Caju.

Fonte: Wikipédia

Biografias de Escritores Brasileiros.

Ronaldo Frigini

   Acadêmico da 01ª Cadeira da Academia de Letras de São João da Boa Vista        Juiz de Direito. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito da Fundação de Ensino Octávio Bastos, UniFeob, de São João da Boa Vista, exerceu a Advocacia...

Emerson Maciel Santos

Presidente da Academia Laranjeirense de Letras. Editor da Brasil Casual Editora. Colunista de Cultura do Jornal A Voz dos Municípios. Membro vitalício da associação Internacional dos escritores e artistas - IWA, que é a maior associação literária do mundo. Tem pouco mais de 1.310...

Benedito Carlos Gonçalves de Lima

Benedito Carlos Gonçalves de Lima, nascido em 11 de Junho de 1949, no Estado de São Paulo, mais precisamente na cidade de Bauru. Pois sua mãe senhora Ernestina Gonçalves de Lima estava hospedada na casa de uns amigos corumbaenses que residiam nessa cidade, eram da família Macena. Sua mãe estava em...

Maria de Nazaré Pena Ferreira

        Maria de Nazaré Pena Ferreira nasceu às margens do Rio Maiauatá, município de Igarapé-Miri, PA, em 07/10/1958. É filha de Luzinar Venceslau Ferreira e Maria Pena Ferreira. Reside, hoje, na Cidade de Igarapé-Miri, sempre participando de movimentos ligados a...

EDSON ROSSATTO

EDSON ROSSATTO nasceu em São Paulo, Capital, em 1978. Formado em Letras, é escritor, editor de livros, roteirista de HQ, palestrante e blogueiro. Publicou os livros "Mansão Klaus e outras histórias", "Curta-metragem – Antologia de microcontos", "Cem Toques Cravados" e "Toques...
<< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>