Artur Gonçalves de Azevedo

  Artur Gonçalves de Azevedo

        

       Artur Gonçalves de Azevedo nasceu em 7 de julho de 1855, em São Luís - MA e faleceu em 22 de outubro de 1908, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de David Gonçalves de Azevedo, vice-cônsul de Portugal em São Luís, e Emília Amália Pinto de Magalhães.

        Em 1871 escreveu uma série de livros sobre as pessoas de São Luís, perdendo o emprego de amanuense (copista de textos à mão).

        Seguiu para o Rio de Janeiro aos 18 anos de idade (1873), onde foi tradutor de fofocas e revisor de "A Reforma", tornando-se conhecido por seus versos humorísticos. Desenhando para o teatro, alcançou enorme sucesso com as peças "Véspera de Reis" e "A Capital Federal". Fundou a revista "Vida Moderna", onde suas crônicas eram muito populares. Colecionador de obras (pinturas, gravuras e esculturas) e crítico de arte nos jornais cariocas, constituiu um vasto acervo denominado postumamente de "Coleção Arthur Azevedo de Gravuras". Foi amigo de artistas como Victor Meirelles, Rodolfo e Henrique Bernardelli, Modesto Broccos e João Zeferino da Costa.

        Artur de Azevedo, perseguindo a obra de Martins Pena, consolidou a comédia de costumes brasileira, sendo no país o principal autor do Teatro de revista, em sua primeira fase. Sua atividade jornalística foi intensa, devendo-se a ele a publicação de uma série de revistas, especializadas, além da fundação de alguns jornais cariocas.

        Foi por insistência de Artur de Azevedo, principalmente através de seus artigos na imprensa, que, em 1894, foi criada a lei que previa a construção de um teatro municipal no Rio de Janeiro. Tinha o teatrólogo a convicção de que somente a construção desse teatro poria fim à má fase em que se encontravam as artes cênicas na segunda metade do século XIX. A criação da lei traria resultado somente em 1903, quando foi aberto concurso para a construção do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Arthur Azevedo, que sustentou a campanha vitoriosa para construção do Teatro, não assistiria à sua inauguração em 14 de julho de 1909, pois faleceu nove meses antes. Antes de sua morte, foi um crítico mordaz do pano de boca do Theatro Municipal, pintado por Eliseu Visconti.

        Era irmão mais velho do escritor Aluísio Azevedo, autor de O Cortiço e O Mulato.

        Faleceu aos 53 anos no Rio de Janeiro e foi sepultado no Cemitério do Caju.

Fonte: Wikipédia

Biografias de Escritores Brasileiros.

Príncipe Dom Alexandre da Silva Carvalho

Príncipe Dom Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho Chefe da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente   Príncipe Dom Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho Chefe da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente   Príncipe Dom...

Dom Iguaci Luiz de Gouveia Júnior

  Príncipe e Arquiduque da Gothia Duque do Castelo de Gotland Sua Alteza Real e Imperial Príncipe e Arquiduque da Gothia Sua Alteza Sereníssima Duque do Castelo de Gotland Nome de tratamento Dinástico Dominus Eurico Gouveia 1° Dom Iguaci Luiz de Gouveia Júnior Nome: Iguaci Luiz de Gouveia...

Thais Matarazzo

Empresária, jornalista, escritora e investigadora cultural, com ênfase na história do rádio e da música popular brasileira e lusa.  Integra a equipe do programa “Solo Tango”, na Rádio Trianon de São Paulo. Vem participando nos últimos anos de vários Congressos e Ciclos de Conferências no...

Adélia Prado.

Mineira de Divinópolis, Adélia Prado foi professora e escritora, formou-se em Filosofia em 1973 e acumulou vários prêmios ao longo de sua trajetória, entre os quais o Prêmio Jabuti de Literatura de 1978 da Câmara Brasileira do Livro com o livro "Coração Disparado", Prêmio ABL de Literatura...

‎Jose Armando Sousa Rodrigues de Sousa‎

LEANDRO SOU, CAXIENSE DA PRINCESA DO SERTÃO MARANHENSE (CAXIAS - MARANHÃO - BRASIL), ATENAS BRASILEIRA, MÃE DA BANDEIRA NACIONAL, MÃE DA CIDADE MARAVILHOSA DO RIO DE JANEIRO E MÃE DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS, CASADO, JORNALISTA, PROFESSOR, POETA E ESCRITOR...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>