Amor Sensual.

Amor Sensual.

foto pixabay dominio publico

 

 

No silêncio da noite,

entro em nosso quarto,

no contrapé do desejo.

 

A luz invade a escuridão do ambiente,

aos poucos revela as curvas sob o lençol de seda.

Sinto sua fragrância emitir o desejo ludibriante do amor.

 

Alguns passos lentos me faz aproximar-me de ti,

o sangue ferve em meu corpo,

já não domino meus instintos diante de sua beleza.

 

O cheiro do desejo aumenta e invade minha alma.

Como o próprio cheiro de ser desejada se intensifica,

na proporção que admiro as curvas sóbrias do amor.

 

Delicadamente toco sobre o lençol,

à busca do contato da luxúria.

Alcanço suas curvas de mulher.

Enlouqueço...

 

Sinto que seus movimentos são de aceitação,

pois é nítido que já não dorme mais.

Sua respiração ofegante demonstra o calor de seu amor.

 

Abuso de meus carinhos,

passo a tocá-la por debaixo dos lençóis à procura de sua pele.

Subo lentamente minhas carícias em busca de sua essência feminina.

 

Nossas peles agora já não estão tão próximas,

pois ao encontrar o contorno de seu quadril,

sinto a renda de suas vestimentas de mulher.

Pequenas no modelo, mas grande em desejo.

 

Minha mente já não tem espaço para a razão,

meus instintos são palpitantes e vulgares.

Da mesma forma que seu corpo se acomoda para receber o amor.

 

 

Com o sussurro entre seus lábios,

arqueio meu corpo sobre o seu,

sinto você me acolher na loucura do amor.

 

Beijo-te,

surrupiando teu arrepio no contato da minha respiração em sua nuca.

Em silêncio profundo percorro seu corpo em busca de seus lábios molhados.

 

O silêncio do quarto já não existe mais.

A noite agora se constrói entre murmúrios de amor,

e na volúpia de nossos corpos entrelaçados,

entregamo-nos a paixão.

 

Possuidor e possuída são cúmplices do desejo,

e na eternidade dos movimentos,

aquele momento se faz pela paixão que se chama amor.

 

E ao cair da noite,

nossos corpos se entregam ao cansaço,

mas satisfeitos e contemplados pela sensualidade de nos amarmos.

 

Leandro Campos Alves.

2015.

 

 
Número de páginas: 101 

Edição: 1(2016) 

Formato: Pocket 105x148 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura s/ orelha 

Tipo de papel: Offset 75g

 

 

 

 

 

 

 

 

www.clubedeautores.com.br/book/206358--Sonhos?topic=mensagens#.VwWSpPkrLIU

 

 Todos direitos estão reservados a autor  conforme artigo (Lei 9610/98).

 


 

Meus Poemas.

Torre de Babel, por Leandro Campos Alves.

Torre de Babel.       O vento é o nosso polinizador de vidas, o responsável por levar a vida, dar a vida, conduzir a vida.   E com o seu veludo e delicado aconchego, ele leva sementes e pedalas aos quatro cantos do mundo.    E hoje como vento, lembro-me dos...

As Mãos que Afagam, por Leandro Campos Alves.

As Mãos que Afagam.     São minhas aquelas mãos. As mãos que afagam o seu sono, que segura e protege seu tombo.   São minhas aquelas mãos. As mãos que apoiam seu caminho, que acalenta seu coração, que te dá o porto...

Peteca do Destino.

foto pixabay dominio publico         Peteca do Destino.         Quando te ganhei, esposei em meus lábios o sorriso. E da surpresa da vida, então chorei.   Alegria em ter-lhe em minhas mãos, logo o seu feltro abriu. O aroma de sua juventude exalou-se pelo...

Celeiro de Minas, por Leandro Campos Alves.

Celeiro de Minas.   Cravada no seio de Minas, entre as montanhas da Mantiqueira, fica minha pequena cidade, com toda sua diversidade.   Mesmo trazendo neste livro, a minha filosofia interior, não posso deixar de mencionar, o celeiro de cultura, que flora na minha pequena cidade, isso...

Louco Carrossel, por Leandro Campos Alves.

Louco Carrossel.     A vida é como um carrossel. Louco carrossel.   Com o nosso nascimento adquirimos direito ao seu passe. Embarcamos neste brinquedo com o nosso primeiro choro. E na roda da vida,                    ...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>