Amadeu Ataliba Arruda Amaral Leite Penteado

 Amadeu Ataliba Arruda Amaral Leite Penteado

        Amadeu Ataliba Arruda Amaral Leite Penteado (Capivari (hoje Monte-Mor), 6 de novembro de 1875 — São Paulo, 24 de outubro de 1929) foi um poeta, folclorista, filólogo e ensaísta brasileiro.

        Estudos Linguísticos.

        Autodidata, surpreendeu a todos por sua extraordinária erudição, num tempo em que não havia em São Paulo, os estudos acadêmicos e os cursos especializados que se especializariam pouco depois. Dedicou-se paralelamente à poesia aos estudos folclóricos e, sobretudo, à dialectologia. No Brasil, foi o primeiro a estudar cientificamente um dialeto regional. O Dialeto Caipira, publicado em 1920, escrito à luz da linguística, estuda o linguajar do caipira paulista da área do vale do rio Paraíba, analisando suas formas e esmiuçando-lhe sistematicamente o vocabulário. Esta obra é considerada como sua melhor contribuição às Letras.

        Percurso literário.

        Sua poesia enquadra-se na fase pós-parnasiana, das duas primeiras décadas do século XX. Como poeta, não esteve à altura de seus dois predecessores,Gonçalves Dias e Olavo Bilac, mas destacou-se pelo desejo de contribuir, com suas obras, para a elevação de seus semelhantes.

        Seu primeiro Livro, Urzes, revela a influência pelo Simbolismo, notadamente na parte referente aos sonetos, estética da qual se afastaria gradualmente dos volumes posteriores, Névoa e Espumas, já ligados ao Parnasianismo. Em seu último livro de versos, Lâmpada Antiga, é constituído de sessenta sonetos, os quais verificam os princípios de humildade, na análise de personalidade do ser humano e dos princípios da moral e cívica, visando diretamente ao aperfeiçoamento humano.

        Academia Brasileira de Letras.

        Foi eleito para a cadeira 15 da Academia Brasileira de Letras, na vaga de Olavo Bilac, recebido em 14 de novembro de 1919 pelo acadêmico Magalhães Azeredo.

        Obras:

Urzes, poesia (1899)

Névoa, poesia (1902)

Espumas, poesia (1917)

Lâmpada antiga, poesia (1924)

Letras floridas, ensaio (1920)

O dialeto caipira, filologia (1920)

O elogio da mediocridade, ensaio (1924)

Tradições populares, folclore (1948)

Obras completas de Amadeu Amaral, com prefácio de Paulo Duarte (1948).

 

Fonte:: Wikipédia

Biografias de Escritores Brasileiros.

Príncipe Dom Alexandre da Silva Carvalho

Príncipe Dom Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho Chefe da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente   Príncipe Dom Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho Chefe da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente   Príncipe Dom...

Dom Iguaci Luiz de Gouveia Júnior

  Príncipe e Arquiduque da Gothia Duque do Castelo de Gotland Sua Alteza Real e Imperial Príncipe e Arquiduque da Gothia Sua Alteza Sereníssima Duque do Castelo de Gotland Nome de tratamento Dinástico Dominus Eurico Gouveia 1° Dom Iguaci Luiz de Gouveia Júnior Nome: Iguaci Luiz de Gouveia...

Thais Matarazzo

Empresária, jornalista, escritora e investigadora cultural, com ênfase na história do rádio e da música popular brasileira e lusa.  Integra a equipe do programa “Solo Tango”, na Rádio Trianon de São Paulo. Vem participando nos últimos anos de vários Congressos e Ciclos de Conferências no...

Adélia Prado.

Mineira de Divinópolis, Adélia Prado foi professora e escritora, formou-se em Filosofia em 1973 e acumulou vários prêmios ao longo de sua trajetória, entre os quais o Prêmio Jabuti de Literatura de 1978 da Câmara Brasileira do Livro com o livro "Coração Disparado", Prêmio ABL de Literatura...

‎Jose Armando Sousa Rodrigues de Sousa‎

LEANDRO SOU, CAXIENSE DA PRINCESA DO SERTÃO MARANHENSE (CAXIAS - MARANHÃO - BRASIL), ATENAS BRASILEIRA, MÃE DA BANDEIRA NACIONAL, MÃE DA CIDADE MARAVILHOSA DO RIO DE JANEIRO E MÃE DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS, CASADO, JORNALISTA, PROFESSOR, POETA E ESCRITOR...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>