Amadeu Ataliba Arruda Amaral Leite Penteado

 Amadeu Ataliba Arruda Amaral Leite Penteado

        Amadeu Ataliba Arruda Amaral Leite Penteado (Capivari (hoje Monte-Mor), 6 de novembro de 1875 — São Paulo, 24 de outubro de 1929) foi um poeta, folclorista, filólogo e ensaísta brasileiro.

        Estudos Linguísticos.

        Autodidata, surpreendeu a todos por sua extraordinária erudição, num tempo em que não havia em São Paulo, os estudos acadêmicos e os cursos especializados que se especializariam pouco depois. Dedicou-se paralelamente à poesia aos estudos folclóricos e, sobretudo, à dialectologia. No Brasil, foi o primeiro a estudar cientificamente um dialeto regional. O Dialeto Caipira, publicado em 1920, escrito à luz da linguística, estuda o linguajar do caipira paulista da área do vale do rio Paraíba, analisando suas formas e esmiuçando-lhe sistematicamente o vocabulário. Esta obra é considerada como sua melhor contribuição às Letras.

        Percurso literário.

        Sua poesia enquadra-se na fase pós-parnasiana, das duas primeiras décadas do século XX. Como poeta, não esteve à altura de seus dois predecessores,Gonçalves Dias e Olavo Bilac, mas destacou-se pelo desejo de contribuir, com suas obras, para a elevação de seus semelhantes.

        Seu primeiro Livro, Urzes, revela a influência pelo Simbolismo, notadamente na parte referente aos sonetos, estética da qual se afastaria gradualmente dos volumes posteriores, Névoa e Espumas, já ligados ao Parnasianismo. Em seu último livro de versos, Lâmpada Antiga, é constituído de sessenta sonetos, os quais verificam os princípios de humildade, na análise de personalidade do ser humano e dos princípios da moral e cívica, visando diretamente ao aperfeiçoamento humano.

        Academia Brasileira de Letras.

        Foi eleito para a cadeira 15 da Academia Brasileira de Letras, na vaga de Olavo Bilac, recebido em 14 de novembro de 1919 pelo acadêmico Magalhães Azeredo.

        Obras:

Urzes, poesia (1899)

Névoa, poesia (1902)

Espumas, poesia (1917)

Lâmpada antiga, poesia (1924)

Letras floridas, ensaio (1920)

O dialeto caipira, filologia (1920)

O elogio da mediocridade, ensaio (1924)

Tradições populares, folclore (1948)

Obras completas de Amadeu Amaral, com prefácio de Paulo Duarte (1948).

 

Fonte:: Wikipédia

Biografias de Escritores Brasileiros.

Gislaine Canales

Gislaine Canales nasceu em Herval - RS - BR, em 20/04/38. Divorciada. Quatro filhos. Sete netos. Uma bisneta. Delegada do Portal CEN - "Cá Estamos Nós", Presidente da UBT, União Brasileira de Trovadores, e Cônsul de Poetas Del Mundo em Balneário Camboriú /SC. Bacharel  em Pedagogia e...

Guiomar de Paiva

Guiomar de Paiva Brandão           Guiomar de Paiva Brandão é natural de Caxambu, reside em São Lourenço, Sul de Minas Gerais. Filha de José Capistrano de Paiva Filho e Maria de Lourdes Mendes Paiva é casada com Augusto Brandão e tem quatro filhos, Daniel,...

Augusto Barbosa Coura Neto

Augusto Barbosa Coura Neto, Membro Correspondente da Academia de Letras de Balneário Camboriú, é natural de Ponte Nova/MG, e casado com Mariza Matilde Martellet Coura. Engenheiro Florestal pela UFSM/RS e Pós-graduado em nível de Especialização pela UFSC/SC.  Trabalhou no Projeto RADAMBRASIL,...

Silvia Araújo Motta

SILVIA (de Lourdes) ARAÚJO MOTTA Email-Emeio atual: clubedalinguaport@gmail.com Sou a Silvia Professora, BEM FELIZ aposentada, violonista e escritora, pela vida apaixonada. Mensageira da Alegria, cativa da Arte e Cultura vivo a divulgar Poesia, Música e Literatura. O tempo mudou meus...

Domingas Alvim

    Domingas Alvim, escritora desde os cinco anos de idade – data em que escreveu seu primeiro poema. Até agora, tem 3 livros publicados (Poços dos Desejos; Do Deserto; Viver é meu Vício).      Sempre foi seduzida pela palavra. Lida, escrita, desenhada, rabiscada....
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>