kellbet.blogspot.

kellbet.blogspot.

    Agradeço o carinho e a reportagem postada no kellbet.blogspot de minha amiga, Escritora Roberta Kelly.

        Convido a todos meus amigos leitores para conhecerem o trabalho de Roberta Kelly através do link.kellbet.blogspot.com.br/p/blog-page.html

         A todos meu muito obrigado pela visita e boa leitura.

 

 

Entrevista com Leandro Campos Alves!

30 de agosto de 2014.

 

 
Hoje temos um bate papo com Leandro Campos Alves!
 
 
 Natural da cidade Mineira de Liberdade; Cronista, Poeta e Escritor romancista com seu primeiro romance publicado em 09/2013 'Instinto de Sobrevivência' pelo Clube de Autores e o Ebook pela Editora Saraiva. Participou da Antologia Além do Olhar de 01/2014; em 27 de fevereiro de 2014 publicou a nova forma literária de redigir romances, O Lamento de José, pelo Clube de Autores e o Ebook pela Editora Saraiva.

 

 Foi jurado da segunda amostra de Raízes de poesias em Aiuruoca MG em 12/2013.

 

 Colaborador de várias comunidades literárias no país e outras em países latino americanos, integrante e colaborador da ”Social Rearde Writer Artist” no Brasil, Milan e Roma, Recanto das Letras e Beco dos Poetas.

 

 Em Junho de 2014, iniciou os trabalhos como Colunista do projeto Divulga Escritor, de João Pessoa Paraíba.

 

  Suas obras já atravessaram o atlântico!

 
 
RK: Leandro, seja bem vindo aqui no blog e desde já agradeço sua participação. Conte-nos, qual é o seu sentimento ao ver um trabalho terminado?
LCA: Roberta, obrigado pela oportunidade desta entrevista e de poder levar aos nossos leitores alguns detalhes de nossos trabalhos.
Quanto à pergunta acima, eu escrevo por inspiração, não forço nenhum texto, já redigi romances com mais de duzentas páginas em apenas uma semana, porém o último trabalho que terminei de escrever nesta última semana de agosto e ainda não tem data para publicação. “O Diário de Shara Ellen”, levei quase um ano para seu término.
Mas o prazer do ponto final da obra, pode se dizer que é o mesmo do parágrafo inicial, pois até ver na editora nosso trabalho, ainda temos um longo caminho. 
 
 
RK: Você tem dois livros publicados, 'Instinto de Sobrevivência' e 'O Lamento de José. Pode apresentá-los para nós?
LCA: Com maior prazer.
O Instinto de Sobrevivência é meu primogênito, podemos assim falar, pois ele está completando um ano de publicação e me trouxe muitos prazeres literários, e abriu muitas portas para meus trabalhos. Um livro que fala da saga de uma família que diante de todas as dificuldades do mundo moderno, cada um dos integrantes da família achou seu lugar ao sol, muitas alegrias, prosas e fatos verídicos que aconteceram em minha vida eu transportei para o romance.
O segundo livro, “O Lamento de José”, ainda está caminhando, pois se trata de uma nova forma literária de escrever poesias e narrar romance, esta estrutura literária está registrada e averbada como contos de Leandro Campos Alves.
Uma peculiaridade das obras é que as duas são redigidas na terceira pessoa do singular. 

 

RK: Como está sendo a repercussão de seus livros e de seus trabalhos?
LCA: Agradeço todos os dias a Deus e aos meus amigos. Neste mês desetembro estamos comemorando um ano de vida literária, e os dois livros estão sendo muito bem aceitos entre os leitores. Sei que o caminho para conseguir uma vendagem alta é longo, mas eu tenho fé e paciência, sei que isso acontecerá no seu momento. Acho que o importante mesmo é ser reconhecido e respeitado como escritor, e graças a Deus este reconhecimento eu já tenho, mas cuido deste reconhecimento com muito carinho e respeito, pois a cada dia ganho um amigo novo, uma nova entrevista e o respeito de acadêmicos, literários, leitores e profissionais da área.
 
RK: Você foi jurado em um concurso. Como foi avaliar as obras dos companheiros literários?
LCA: Foi um prazer muito grande. Imagina que quando todas as pessoas estavam em casa festejando a passagem do ano, eu e minha esposa estávamos prestigiando este evento literário em Aiuruoca, Minas Gerais. Exatamente no dia 31 de Dezembro de 2013.

Mas o prazer maior se deu quanto li o resultado final do concurso, e vi que o poema classificado por mim como melhor, foi o grande vencedor do concurso. E a alegria maior, foi quanto veio a revelação da autora da obra. A autora Dona Ana Maria Braga é uma senhora aposentada, que doou a sua vida à carreira de professora de português e literatura daquele município. O seu poema encontra em nosso site intitulado “O Juízo Final”. 


RK: Alguns escritores tem certos rituais para escrever ou locais preferidos e até mesmo horários 'perfeitos'. E você tem algum ritual ou preferência na hora de escrever?
LCA: Não, muitos leitores não acreditam, mas meu escritório fica ao lado da sala de estar de minha residência, e há dias que minha esposa senta ao meu lado para assistir televisão, e o som da TV não me atrapalha em nada. Eu me concentro em meu mundo e textos, algumas vezes meus filhos chegam a rir de mim, pois eles me chamam e falam comigo, mas em meu mundo eu não escuto o que eles falam, a não ser se eles me chamarem a atenção tocando em mim.

RK: A mídia vem influenciando a leitura digital cada vez mais, seja com equipamentos ou preços muito baixos. Você acha que chegará o dia que perderemos os livros impressos?
LCA: Nunca perderemos os livros impressos. Quem não gosta de guardar em sua biblioteca uma obra autografada pelo escritor, ou uma obra como relíquia e sentir seu cheiro na estante?
Meus livros são publicados por duas editoras, pela editora do Clube de Autores e pela Publique Saraiva.

Com certeza a vendagem do Clube de Autores supera muito a de Ebook pela Saraiva, sinal que ainda estamos longe do tempo em que livro será artigo de museu. Assim eu espero.

RK: Nesse mundo literário pobre em apoio aos escritores nacionais, qual foi o seu grande desafio até agora?
LCA: O primeiro desafio foi vencer o presente que a natureza me deu, chamado dislexia, e meus caminhos eu deixo nas mãos de Deus, e cada porta se abre por Ele, e cada obstáculo vem ao chão. Porém a cultura brasileira infelizmente é muito direcionada à beleza de corpos e sexo, não que isso seja ruim, mas quando postamos um texto literário, para atingirmos duzentas visualizações demora no mínimo um dia, porém uma foto expondo corpos nus, estas curtidas vem em minutos. Talvez a maior dificuldade que encontramos venha de nossa própria cultura. Digo isso, pois tenho muitos amigos e leitores espalhado em países de língua portuguesa, por vários continentes, e em contado com estes meus amigos leitores e escritores destes continentes, notamos claramente esta diferença cultural.

RK: Apesar de todos os desafios que enfrentamos, todos nós temos nossos desejos e sonhos. Qual é o seu desejo como escritor Leandro?

LCA: Ser escritor para mim é um sonho, um prazer e faço com gosto. Tenho consciência que estou ainda caminhando, mas sei que será questão de tempo para emplacar uma obra no país.

Este sim é o maior desejo como escritor.

RK: Todos escrevemos para alcançar os leitores de alguma forma. Como você deseja que seus trabalhos toquem os leitores?

LCA: Tive o relato de alguns leitores que leram o Romance Instinto de Sobrevivência em apenas duas horas, um romance de duzentas páginas, espaço simples, tamanho da letra 12 e sem fotos.
Outros leitores confessaram que não conseguiam parar de ler o livro, queriam chegar logo ao final para descobrir o desenrolar do romance.
Além daqueles que entraram em contado comigo através dos meios eletrônicos, para contarem que ao ler o romance, hora eles sorriam com as passagens vividas pelos personagens, porém outras passagens fazia correrem em seus rostos as lágrimas da tristeza.

Por isso creio que estou no caminho certo, e desta forma quero tocar as emoções dos leitores.

RK: Deixe uma mensagem aos seus leitores e futuros leitores!
LCA: Não tenha medo de seus projetos. Seja o construtor de sua própria história.
Eu agradeço por participar desta entrevista, deixo o convite aos amigos leitores para conhecerem mais um pouco o nosso projeto, através dos links www.facebook.com/escritorleandroalves www.escritor-leandro-campos-alves.com e deixo meu abraço fraterno a Roberta Kelly, que com muito profissionalismo conduziu esta entrevista. Que Deus esteja com todos.


 Agradeço a você Leandro, o carinho e a participação aqui no blog.
 Desejo muito sucesso e que venham muitos outros trabalhos. 
 Parabéns e um grande abraço a você também. Que Deus esteja com todos nós!

Aos amigos leitores, deixo aqui os links para conhecerem os trabalhos do Escritor Leandro Campos Alves:
 
 

 



 

Entrevista com o Escritor Leandro Campos Alves

Literatura entre Amigos.

Sábado, 30 de agosto de 2014. Entrevista com Leandro Campos.   Chocolate Quente apresenta, Leandro Campos Alves.             Natural da cidade Mineira de Liberdade.         Cronista, Poeta e Escritor...

Pense Fora da Caixa, Shirley M Cavalcante.

 Pense Fora da Caixa, Shirley M Cavalcante.     Jornalista Shirley M. Cavalcante (SMC) entrevista escritor Leandro Campos Alves Publicado por Shirley Cavalcante em novembro 10, 2013 as 9:21 pm A+a- 2...

Portal Conexão PB-jornal.

          Jornalista Shirley M. Cavalcante (SMC) entrevista escritor Leandro Campos Alves Publicado por Shirley Cavalcante em novembro 10, 2013 as 9:21 pm A+a- 2...

Revista Gota D'água-Copasa.

Revista Gota D'água-Copasa.                   Gostaria de agradecer a todos que curtiram a nossa página, e os que estão curtindo.                 Pois existem dias que olhamos nossos caminhos e...

Entrevista com Diego Ferreira

                   Entrevista feita para um novo projeto literário, coordenado por Diego Ferreira, Estudante de Administração pela Escola Escolástica Rosa e cobrador de Detention na empresa Technologic...

Poemas, crônicas e textos de diversos Autores.

Valdeck Almeida de Jesus

A chegada de Michel Temer no Inferno   Batizado com esse nome É mesmo para temer, Pois parece aquele verbo Criado pra estremecer Todo mundo se amedronta Somente de ouvir dizer.   Ele foi para o inferno Buscar força pra mandar Acabou com o capeta Destruiu tudo por...

Ligia Beltrão

Nós Perfeição   Amo as tuas mãos delicadas Que tiram do meu corpo canções Nas noites pálidas e enluaradas Dentro de nós vibram as emoções   Meus olhos vagam num mar incerto Dos desejos que em meu corpo tremem De pensar em ti de mim tão perto Palavras tontas... Versos que...

Gisiéle Gargioni

        O que falar de um talento assim?         Sei que palavras talvez não seja suficiente para descrever uma poetisa plena, completa.         Me rendo aos poemas de Gisiéle Gargioni – “A princesa da serra...

Laércio Tadeu Januário

O mundo chamado Família.           Neste louco mundo chamado Vida, somos nela lançados através do amor de nossos pais, esta concepção é apenas o início.         Somos apresentados ao mundo através de uma tapa amigo do médico ou...

Memorias de Guerra- Trajetória de Vidas Vividas

        Como não abrir espaço para uma crônica de reflexão destas?         Como não pensar em vitoriosos e derrotados em guerras desumanas?         Como não pensar na vida?      ...

Deunice Maria Andrade.

A fé nos traz a paz, harmoniza nossos sentimentos, abastece nossas forças. Assim como a fé, as palavras, pensamentos e sentimento nobres rega nossa fé. Conheçam um pouco a poetisa que encanta e canta a vida. Leandro Campos Alves. Setembro de 2016.         Conheçam seus...

Miquiáine Laurenço

O que falar de poemas, sem conhecê-los? O que pensar da vida, sem vivê-la? O que imaginar da cultura, sem lê-la?           Cada dia admiro mais as pessoas e os talentos de cada amigo, descubro sonhos e pensamentos, viajo por versos, estrofes e romances.  ...

Hugo Dias "Marduk".

Foi   Foi obra na escuridão, na arte da verdade que nasceu, as flores que sorriu, para o norte que cresceu. Foi corvo que para a morte, no cântico da noite corveja, desprezando a inimizade, da antipatia que inveja. Foi lobos que uivou, sabendo que a noite voltava, os desejos conscientes e...

Neon - Luís Felipe

Mestre dos ladrões   Deguste o vinho, Mais caro que a vida de teu irmão Enquanto tuas bombas explodem em longínqua terra Surdez perante a sinfonia do desespero Leviatã, o simplório ladrão Não esconde o sangue em suas mãos Os que enxergam, mas não possuem visão Se põem a servir, festejar e...

Luciano Spagnol

POETA MINEIRO DO CERRADO Poeta do cerrado, simplista, mineiro de Araguari, fevereiro de 1958, mariano, formado em Fisioterapia pela UCP, Petrópolis, criado no Rio de Janeiro.   "Sou alma do cerrado, pé no chão, do Triângulo, do chapadão... Pão de queijo com café, fogão de lenha, das vilas...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>