Inácio José de Alvarenga Peixoto

Inácio José de Alvarenga Peixoto

        Inácio José de Alvarenga Peixoto (Rio de Janeiro, 1742 — Ambaca, Angola, 27 de Agosto 1792), foi um advogado e poeta luso-brasileiro. Foi detido e julgado por participar da Inconfidência Mineira, tendo sido condenado ao degredo perpétuo na África. A Alvarenga Peixoto é atribuída a autoria da inscrição latina na bandeira de Minas Gerais: Libertas quae sera tamen.

        

        Biografia.

        Nascido na cidade do Rio de Janeiro, era filho de Simão Alvarenga Braga e Ângela Micaela da Cunha. Estudou no Colégio dos Jesuítas do Rio de Janeiro, chamado Humberto de Souza Mello. Tendo se transferido para Portugal, onde obteve o Bacharelato, com louvor, em Direito na Universidade de Coimbra. Aí conheceu o poeta Basílio da Gama, de quem se tornou amigo.

        No Reino exerceu o cargo de juiz de fora na vila de Sintra. De volta ao Brasil, o de senador pela cidade de São João del-Rei, na capitania de Minas Gerais. Aí também exerceu o cargo de ouvidor da comarca de Rio das Mortes e desposou a poetisa Bárbara Heliodora Guilhermina da Silveira, com quem teve quatro filhos: Maria Ifigênia, José Eleutério, João Damasceno (que posteriormente mudara o nome para João Evangelista) e Tristão de Alvarenga.

        Participação na Inconfidência.

        Frequentava a então Vila Rica. Deixou a magistratura, ocupando-se da lavoura e mineração na região do sul de Minas Gerais, mais especificamente nas cidades de Campanha e São Gonçalo do Sapucaí, última cidade esta onde despendeu quase toda sua fortuna para a abertura de um canal de cerca de 30 quilômetros para abranger as melhores minas de ouro do arraial e fazer a lavagem das terras.

        Foi amigo dos poderosos da época e partilhava com os demais intelectuais de seu tempo idéias libertárias advindas do Iluminismo. Entre essas personalidades destacam-se os poetas Cláudio Manuel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga (seu parente), o padre José da Silva e Oliveira Rolim, o militar Joaquim José da Silva Xavier (o "Tiradentes"), e Joaquim Silvério dos Reis, que delataria os conjurados.

        Condenação, degredo e morte.

        Pressionado por dívidas e impostos em atraso, acabou por se envolver na Inconfidência Mineira. Denunciado, detido (prisioneiro na Ilha das Cobras),  julgado e condenado, foi deportado para Angola, onde veio a falecer, pouco após sua chegada, vítima de uma febre tropical que à época assolava o local.

 

        Obras

        A sua diminuta obra inscreve-se entre a dos poetas do Arcadismo, e foi recolhida por Rodrigues Lapa. Apresenta alguns dos sonetos mais bem acabados do Arcadismo no Brasil. A temática amorosa foi uma das vertentes da sua poesia, em que também se observa uma postura crítica quanto à sociedade da época.

        A Dona Bárbara Heliodora, poesia

        A Maria Ifigênia, poesia

        Canto Genetlíaco, poesia, 1793

        Estela e Nize, poesia

        Eu Não Lastimo o Próximo Perigo, poesia

        Eu Vi a Linda Jônia, poesia

        Sonho Poético, poesia

        Traduziu para o português a peça teatral Mérope, de Scipione Maffei.

Nome completo

Inácio José de Alvarenga Peixoto

Nascimento

1742
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,Brasil
 Portugal

Morte

27 de agosto de 1792 (50 anos)
Ambaca, Angola,  Portugal

Nacionalidade

 Português

 

Fonte:Wikipédia

Biografias de Escritores Brasileiros.

Carolina Utinguassú Flores

    Carolina Utinguassú Flores nasceu em 1984, em Porto Alegre (RS). Formou-se em 2005 como técnica em edificações e trabalhou por sete anos na construção civil. Em 2011, ingressou na Faculdade de Letras, foi bolsista de iniciação científica e de projeto de docência pela Capes....

Alcione Sortica

           Alcione Sortica, Cachoeira do Sul, 17 de dezembro de 1935) é um escritor brasileiro.         Ativista cultural, é membro e presidente do conselho fiscal da Academia de Artes, Ciências e Letras...

Sergio de Sersank

        Poeta paranaense natural de Florestópolis, define-se como homem comum, em paz consigo e com a vida. Libertário. Independente. Um cidadão do mundo ou “monda civitano”, na língua esperanto, que fala com fluência e divulga com otimismo. Sersank vem de...

Pedro Pires Bessa.

          Pedro Pires Bessa, natural de Divinópolis, MG.          Doutor em Teoria Literária pela UFRJ, em 1985 – Pós-Doutor em Literatura Comparada pela UFRJ, em 2001 – Mais de 30 livros publicados – Mais de 100 artigos...

Neida Rocha

        Neida Rocha nasceu em 1/2/1954, em Canoas/RS, na Vila Harmonia, onde passou a infância e em 1965 mudou-se para o Bairro Niterói onde viveu a adolescência. Filha de José Lopes da Rocha e Tereza da Costa Rocha, criada entre dois irmãos (Nei e Sidnei). Foi Rainha...

Miranda May.

         Natural  de Criciúma, Santa Catarina.          Até onde minhas lembranças me levam, minha cumplicidade e amor pelos livros nasceu com as primeiras letras, quando, pela impossibilidade de adquiri-los,...

André Luis Soares

        ANDRÉ LUÍS SOARES nasceu em Brasília em outubro de 1964, mas criou-se no Rio de Janeiro, sob a influência cultural da bela Copacabana das décadas de 70 e 80. De volta à Capital Federal na adolescência, estudou Economia pela Universidade Católica de Brasília....

Ormuz Simonetti

        Estava procurando informações sobre a biografia de uma personalidade que muito me chamou a atenção, Ormuz Simonetti, por incrível que pareça deparei-me com muitas informações em sites, blogs, jornais etc...         Mas me...

Walber Gonçalves de Souza

Graduado em História pelo Centro Universitário Assunção (1999). Especialização (Lato sensu) em Ciências do Ambiente pelo Centro Universitário de Caratinga (2002). Mestrado em Meio Ambiente e Sustentabilidade pelo Centro Universitário de Caratinga (2005). Desde 2002 é professor do Fundação...

Raimundo Colares Ribeiro

        Natural de Tefé, no Amazonas, Raimundo Colares Ribeiro é filho de Hildebrando Ribeiro e Teresa Colares de Lima. Casou-se com a senhora Kátia Maria dos Santos Colares Ribeiro, de cuja união nasceram seus três filhos: Rickson, Rennier Recco e...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Meus Poemas.

Amigo Eterno

Hoje a matemática ficou órfã, perdeu sua operação de multiplicação. Multiplicar conhecimentos, a lealdade e o discernimento.   Multiplicar a verdade, a palavra amiga, o laço de amizade, a voz da autoridade.   Multiplicar o amor pelo ensino, a gana do saber. Nos preparando para o...

Trem de Minas.

Lembro-me daquele tempo, que era uma criança. E minha mãe pelas mãos me conduzia, para ir visitar a minha outra tia, que também se chamava Maria.   Primeiro trajeto da viagem era feito, numa estradinha cheia de curvas, e nos assentos de uma perua, cada passageiro ajeitava-se ao seu...

Pessoas.

Tem gente que se acha grande. Tem gente que se acha justo. Tem gente que se acha gente.   Mas nem toda grandeza traz segurança, nem toda justiça é perfeita, nem todo achar nos faz ser gente.   A vida é feita de atos. A gente é feito pelo amor, e o amor... É feito de respeito.   A...

Soneto Tempo

O tempo abranda a dor, cura o corte, cicatriza as lembranças, acalenta a morte, nos enche de esperanças.   O tempo abranda o passado, cura a ferida, apaga o que era errado, harmoniza o presente da vida.   O tempo é o único remédio, que abranda a desilusão, e faz renascer uma nova...

Declarações.

  Se um dia eu amei... Se um dia te conquistei... Digo a ti amor eterno, que minhas declarações são simples palavras, e não mostram o tamanho de meu sentimento.   Como frases jogadas ao vento, elas percorrem espaços, territórios e sonhos. Voam nas asas das promessas, mesmo assim, não...

Noites eternas.

  O silêncio da noite na cidade não será mais o mesmo. As ruas não terão na madrugada, o sons de seus passos solitários. A noite não trovoará a voz da sua amizade. O cambaleio do solitário sonhador, não terá mais sua maestria.   Nossas noites ficarão mais frias, as lembranças serão...

Fogão a Lenha.

Foto arquivo pessoal Gisele C. de Souza   Lembro claramente, daquele fogão de lenha. vermelho reluzente, com chapa negra e bem quente. Sua fumaça sai calmamente, pela chaminé que ficava a sua frente.   Construído sobre o chão liso, verde era a cor daquele piso.   Em pé ao seu...

Despedida.

Sonhei com a morte, acordei para vida. Vi sonhos morrerem com tempo, mas vi o tempo ressurgir em mim.   Com pensamento sempre no futuro, esqueci de viver o presente. Passei a sonhar com o passado, e a vida? Simplesmente passava.   Vi amigos partirem, vi a morte de perto, e...

Somos Chapecoenses.

    Comoção mundial, Harmonia de orações no dialeto dos anjos; A saudade que marcou e marcará eternamente a história. Pessoas e profissionais a busca de seus sonhos, agora são saudades. Esta tragédia deixou não só a marca da dor, Com certeza deixou heróis, marcou nações,...

Oração de Súplicas.

Senhor meu Deus, Pai da sabedoria e da onipotência. Aquele que sombreia seus filhos, com retidão, graças e benevolência.   Sois a razão da vida e da morte, sois a fonte da saúde e do amor. Sois o juiz dos juízes, sois o onipresente sentenciador.   A ti Pai eterno, prostro meus joelhos em...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>