Antologia Nasce um Poeta.

Antologia Nasce um Poeta.

        Antologia Nasce um Poeta.

        Publicação pela Editora Sampa.

        Outubro de 2014.

 

Biografia
 
        Leandro Campos Alves é natural da cidade Mineira de
Liberdade. Cronista, Poeta e Escritor romancista que desponta
na literatura brasileira, recentemente publicou em 09/2013 a
o romance Instinto de Sobrevivência pelo Clube de Autores e
o Ebook pela Editora Saraiva; participou da Antologia Além
do Olhar de 01/2014; em 27 de fevereiro de 2014 publicou a
nova forma literária de redigir romances, O Lamento de José,
pelo Clube de Autores e o Ebook pela Editora Saraiva.
        Foi jurado da segunda amostra de Raízes de poesias em
Aiuruoca MG em 12/2013.
        Têm em seu currículo várias entrevistas, entre elas, a do
Divulga Escritor, Conexão Portal PB, Pensando Fora da
Caixa, elaboradas pela Jornalista Shirley M. Cavalcante, de
João Pessoa Paraíba, reeditada na edição especial de natal
de 2013, Revista Literária da Lusofonia - Divulga-Escritor, e
divulgada em Portugal.
        Em abril de 2014, participou da edição especial comemorativo
de um ano da Revista Literária da Lusofonia - Divulga-Escritor,
com artigo sobre o romance Lamento de José.
        Participou de uma nova reportagem para Revista Gota
D’água, Edição 10 de Janeiro 2014. Revista circulante para
os funcionários da Companhia de Saneamento do Estado de
Minas Gerais.
        Colaborador de várias comunidades literárias no país e
outras em países latino americanos, integrante e colaborador
da ”Social Rearde Writer Artist” no Brasil, Milan e Roma e,
Recanto das Letras e, Beco dos Poetas.
        Em Junho de 2014, iniciou os trabalhos como Colunista do
projeto Divulga Escritor, de João Pessoa Paraíba.
        Suas obras já atravessaram o atlântico.
        Autor do Clube dos Autores e, recentemente firmou
contrato com a Editora publique/Saraiva.
 
        Para melhor conhecê-lo acesse seus sites:
        http://escritor-leandro-campos-alves.com
 
Caxambu-MG 109
 

Carta a Humanidade.

Algumas vezes apontamos as falhas dos outros.

Mas que falhas?

Se não conseguimos encontrar as nossas próprias.

 

Somos errantes sim!

Mas devemos aprender com nossos erros, e não lhes ocultar nas sombras dos outros.

A vida é mesmo engraçada.

Ou quem sabe irônica?

Não sentimos remorso nenhum e nem dor, ao tocarmos na ferida de um amigo.

Porém, escondemos as nossas feridas aos olhares da sociedade para que não sejas tocada.

 

Humanos!

Quem somos nós?

 

Juízes outrora Deuses, capazes de julgar e considerarmos perfeitos.

Humanos!...

Quem nós somos?

 

Quando sentimos ameaçados, esbravejamos, encantoamos em nossos medos.

Mas na contramão do amor.

Quando ameaçamos o próximo, crescemos na embacia da retidão.

Será que somos o espelho da justiça?

 

Humanos!

Como amamos?

 Se amar é apontar as falhas do próximo,

esquecemos que é o próximo que nos ama.

 

Humanos!...

Sois justos?...

São Deuses?...

Sois perfeitos?...

 

Humanos!...

Quem nós somos?

 

A dor que hoje tu levas ao amigo,

poderá ser a mesma dor que sentiras,

quando este mesmo amigo lhe der o conforto de seu amor.

 

Humanos!...

Quem nós somos?...       
 
Caxambu-MG 111
 
Leandro Campos Alves

Minha Prece ao Senhor.

Nos dias de aflição,
sinto o frio de minha alma,
dentro do meu coração.

Corro para minha humilde canção,
em busca da face do senhor,
para acalentar meu viver,
e deixar mais alegre o meu ser.

Oh! Senhor meu pai,
acolhe-me em sua sombra,
traz-me o puro amor,
retirando de meu peito esta dor.

Tenho sede do saber,
de seus conselhos para minha alma absorver.
Junto ao desejo,
de em Cristo crer.

Lembro-me de seus ensinamentos,
que a todo instante,
consola os meus lamentos.

Pois oh! Pai eterno...
Cristo cuide dos filhos seus,
e não deixa-nos a mercê dos filisteus.

Busco então sua face Senhor,
clamando o perdão,
na essência de meu puro coração.

Escute o meu clamor,
que sobe aos céus,
em seu louvor.

Pois Pai justo e eterno,
dê-me seu afago,
para tirar este gosto amargo,
daqueles pecados,
que ainda não foram julgados,
por ti oh! Senhor.

Pai eu te peço não só em meu nome,
mas em nome de todos os homens,
que se esqueceu de ti em suas preces.

Também peço por aqueles incrédulos,
que não te agradecem a vida,
que a nós foi concedida,
pelo seu poder,
que nos fez viver.

Ainda lhe digo,
para estarmos contigo,
e termos seu ombro amigo,
não só em hora de paz e amor,
mas também no conflito e na dor.


Pai em preces eu peço,
e também agradeço,
o conforto cedido por ti o Senhor.

Agradeço não só em meu nome,
mas em nome do mundo inteiro,
e digo oh! Meu companheiro,
sou grato pelo seu imenso amor.
Fazendo de minha alma sua moradia,
deixando-me em sua companhia.

Como em toda oração,
despeço com a grande emoção,
por levar a ti este louvor,
a casa de meu Senhor,
o meu bom pastor.

 

 
Caxambu-MG 113
Leandro Campos Alves
 
        Algumas vezes recordamos o passado, e lembramos-nos de
nossos amigos que lá ficaram, mas o que é o passado? Porque
este tempo ficou para trás, o que é esse tempo? Saudades,
lembranças ou apenas o Tempo.

 

TEMPO. 

Gostaria de ter o poder sobre o tempo,
tempo saudoso,
tempo virtuoso, 
mas cruelmente maldoso. 

Ah passado distante da vida real, 
presente indiscreto, 
e futuro incerto. 

Juventude perdida, 
num laço da vida, 
que me lembro da sua partida.

Ah tempo, Tempo, tempo...
Que na cronologia passa rápido demais,
e nos deixa apenas as lembranças, 
nelas as antigas esperanças. 

Hoje homem, mulher ou criança, 
para nós ontem o tempo passou, 
em seu rastro ele nem nos saudou. 
Deixando um gosto da vida, 
vivida, 
porém mal curtida.

Ah tempo que não se tem controle,
carrasco dos homens. 
Ao passar por nós,
deixa-nos a melancolia saudosa da nossa juventude. 
Com a lembrança dos nossos amigos, 
que certamente mais que amigos, irmãos, 
companheiros e amores de nossa vida. 
Que um dia fizeram parte de nós,
mas que esse tempo algoz, 
decepou-nos, 
amordaçou-nos, 
enterrou em nossas próprias lembranças. 
Nossos juramentos de amizades eternas, 
feitas ainda quando crianças. 

Ah tempo impetuoso.
Em seu caminho segue ceifando suas vitimas, 
sem olhar para trás,
deixando o seu sinal tubuloso, 
e marcas nas suas frontes, 
dos obstáculos da idade, 
que não somos capazes de transpô-los, 
deixando-nos sequelas. 
Das saudades talvez, 
ou do passado outra vez... 

Ah tempo... Tempo... Tempo...



 Autor Leandro Campos Alves

114 Caxambu-MG
 
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Diversos, Autores
Nasce um poeta- “Coletânea de poemas e contos”/
Autores diversos. São Paulo-SP
Organização: Zulmar Pessoa de Lima Tamburu
Editora Vale dos Livros, 2014.
ISBN 978-85-64706-46-0
1. Ficção e contos brasileiros
2. Poesia brasileira
I. Título.
12-04864 CDD-869.92
Índices para catálogo sistemático:
1. Ficção e contos brasileiros: Literatura brasileira 869.92
2. Poesia: Literatura brasileira 869.91

 

Meus Poemas.

Tempo, por Leandro Campos Alves.

   TEMPO.    Gostaria de ter o poder sobre o tempo, tempo saudoso, tempo virtuoso,  mas cruelmente maldoso.  Ah passado distante da vida real,  presente indiscreto,  e futuro incerto.  Juventude perdida,  num laço...

Resposta Divina, por Leandro Campos Alves.

Resposta Divina.           O nosso caminho é penoso e distante, nosso corpo sente dor e cansaço, e ao longe enxergamos nosso destino e seguimos viagem. Muitas vezes, olhamos para o horizonte de nossas vidas e clamamos ajuda a...

Vida, por Leandro Campos Alves.

Vida.   Não sei se vivo a vida, ou se é ela que vive em mim, sendo apenas minha grande amiga, ou quem sabe outrora, minha própria inimiga.   Sou instrumento de seus desejos, que sendo ela moleca, e sorrateira, algumas vezes se faz de zombeteira.   Acordo em minutos e...

Louco Carrossel, por Leandro Campos Alves.

Louco Carrossel.     A vida é como um carrossel. Louco carrossel.   Com o nosso nascimento adquirimos direito ao seu passe. Embarcamos neste brinquedo com o nosso primeiro choro. E na roda da vida,                    ...

Minha Prece ao Senhor, por Leandro Campos Alves.

          Algumas vezes na vida, olhamos para o que temos a ganhar no futuro, e o que ganhamos no passado, porém esquecemos-nos de olhar para cima ou para dentro de nossos sentimentos, e ver quem realmente é nosso...

Perda.

    A noite desce no horizonte, e faz-me ver como sinto sua falta. Eu procuro em minhas lembranças, o vestígio do nosso amor. Mas qual amor? Se lhe magoei, humilhei e lhe deixei.   Naquele dia vi suas lágrimas clamarem meu carinho, o meu abraço e meu calor. Senti você suplicar um...

Amores.

foto pixabay dominio publico     Meu coração chora! Minha alma implora! Minha vida... Sei lá? Talvez apenas aflora.   Aflora a sua falta, aflora a saudade, aflora a perda de ti, aflora o seu perdão.   Hoje me sinto só, fecho meus sentimentos em tristeza. A dor da solidão não me...

Aleijadinho.

foto pixabay dominio publico   Aleijadinho.   Antônio Firmino Lisboa, narro agora a sua história de vida, talento nato de Vila Rica, orgulho do movimento barroco, nasceu com sangue mestiço, intitulado mulato escravo, obteve sua alforria ainda menino.   Foi um renomado...

Lágrimas de sangue.

foto pixabay dominio publico     Algumas vezes a agonia nos aperta o peito. Sinto saudades, E a dor invade a nossa alma e o nosso coração.   Muitos sentem a sua presença, Amam, sofrem e nada compreendem. Procuram respostas em vão, Pois não entendem a origem dessa...

Sabedoria de amar.

Foto:casal-de-ancião 2   Eu quero que o tempo passe lentamente, para poder ver o nosso envelhecer. Mas se Deus assim desejar, pode o tempo depressa passar.   Porém peço a Deus sua compreensão, e rogo para deixar ver seu envelhecer. E no amanhecer do futuro, mesmo que a veja com os cabelos...

Celeiro de Minas, por Leandro Campos Alves.

Celeiro de Minas.   Cravada no seio de Minas, entre as montanhas da Mantiqueira, fica minha pequena cidade, com toda sua diversidade.   Mesmo trazendo neste livro, a minha filosofia interior, não posso deixar de mencionar, o celeiro de cultura, que flora na minha pequena cidade, isso...

Deus Pai.

    Sou a vida, sou a morte, sou a tua sorte.   Sou o destino que te abençoa, o amor que te acalenta, a consciência que te amordaça, vê se me entenda.   Sou a culpa que te atormenta, que te acusa do pecado, mas te salva do inesperado, receba este meu recado.   Estou sempre...

Carta da Anunciação.

No caminho da vida, muitas coisas vi e vivi. Vi o nascer da criança, ainda no ventre da mãe. Trouxe o prenúncio da morte, deixando-me à beira da desilusão, por profetizar a perda e nada poder fazer, para driblar a morte e deixar alguém viver.   Vi em meu leito a imagem do anjo. Senti o aroma...

Filosofia Interior.

Foto Pixabay F echo os olhos, I nternando-me em meu eu. L onge de todos e do mundo, O rganizando os meus sonhos mais profundos. S equestrando minha vida, O ferecendo-me em silêncio, F ico em plena meditação, I nerte eu permaneço em alfa, A companhando o bater do coração.   I mpulsivo eu me...

Desilusão.

  Dói... Dói ser o porto seguro, Mas não encontrar o nosso porto.   Dói... Dói ver obstáculos indo ao chão, Mas em vão. Pois a vitória que seria coletiva, É apenas mais um fato, ou ato.   Dói... Dói tentar ser alguém, E no fim descobrir que não somos ninguém.   Dói... Dói...

Amor Sensual.

foto pixabay dominio publico     No silêncio da noite, entro em nosso quarto, no contrapé do desejo.   A luz invade a escuridão do ambiente, aos poucos revela as curvas sob o lençol de seda. Sinto sua fragrância emitir o desejo ludibriante do amor.   Alguns passos lentos me faz...

Dueto da Amizade.

foto pixabay dominio publico    Poesia é amor e paixão  são versos em expressão.  Versos que traduzem um sentimento sem razão,  que acalenta a alma e o coração.  Que fazem qualquer pessoa explodir em emoção,  sentir felicidade, tristeza e paixão,  sentir o...

Paz.

foto pixabay dominio publico   Paz... Tão almejada paz... Como podemos encontrar tal sentimento, que buscamos a todo o momento, e guardo em meu pensamento?   Sois sublime e virtuosa, mãe de todos os outros sentimentos, conjunto completo e inerente, dá-nos prazeres nobres, sois êxtase, e...

Um dia eu amei.

foto: mamanoel2010 uol   Um dia eu amei. Ah! Amei profundamente, meus sonhos, minha família, minha gente.   Amei o tempo, com se o amanhã não fosse existir mais. Amei as pessoas como se todas fossem iguais. Como se todas nos acolhessem em um abraço fraterno.   Ah!... Como eu amei a...

Homenagem as Mães.

    Homenagem as Mães.   Minha vida não seria nada, o meu amanhã nÃo existiria, se não me acolhesse em seu ventrE.   Com Amor acalentou meus primeiros passos, protegeu-me e Me educou. Amou-me sem pedir nada em troca.   SiMplesmente doou sua vida, para qUe eu pudesse ter um...

Poetizando.

foto pixabay dominio publico   Poetizo a vida, Poetizo a história, Poetizo a própria poesia.   São letras, São rimas, Formando os traços da melodia.   O amor que nasce do sentimento, O sentimento que marca pequenos momentos, Ou apenas transmite a nossa alegria, Esta alegria que nasce...

Profecias.

foto pixabay dominio publico     Eu vi o nascer da vida, ouvi o anunciar da morte, escutei palavras de profecias, e pude vê-las sendo cumpridas.   Estando acordado, estive na presença dos anjos, os ouvi profetizarem a vida e a morte, e com eles falei.   Boas novas me foram...

Homenagem as Mulheres.

foto pixabay dominio publico     Homenagem as Mulheres.   Mãe, amiga, esposa e companheira, uma verdadeira GUERREIRA, leal, carinhosa e parceira. Hoje trago esta singela homenagem, em nome de todos homens. Reverenciamos as mulheres de todas as idades, e oremos a Deus por interseção...

Torre de Babel, por Leandro Campos Alves.

Torre de Babel.       O vento é o nosso polinizador de vidas, o responsável por levar a vida, dar a vida, conduzir a vida.   E com o seu veludo e delicado aconchego, ele leva sementes e pedalas aos quatro cantos do mundo.    E hoje como vento, lembro-me dos...

As Mãos que Afagam, por Leandro Campos Alves.

As Mãos que Afagam.     São minhas aquelas mãos. As mãos que afagam o seu sono, que segura e protege seu tombo.   São minhas aquelas mãos. As mãos que apoiam seu caminho, que acalenta seu coração, que te dá o porto...

Peteca do Destino.

foto pixabay dominio publico         Peteca do Destino.         Quando te ganhei, esposei em meus lábios o sorriso. E da surpresa da vida, então chorei.   Alegria em ter-lhe em minhas mãos, logo o seu feltro abriu. O aroma de sua juventude exalou-se pelo...

Menção de Despedida, por Leandro Campos Alves.

            Minha homenagem a poetiza.             Leticia de Barros 1972 a 2014            Menção de Despedida.    Hoje a perda bate a porta. Perda dolorosa. Perda nobre. Que dói e vai deixar muita...

Bodas.

 Bodas. Não quero o seu sacrifício, quero a sua felicidade. Por isso eu me realizo, com a nossa cumplicidade. Digo isso com a certeza, porque não vejo só a sua beleza. Temos uma afinidade, que foge a realidade, das razões da nossa sociedade. Nossa amizade é de alma, e isso me...

Sonetos da Trilogia.

foto web, os creditos poderão ser dados mais tarde ao autor.       Sonetos da Trilogia.   Soneto a Felicidade.   Algumas vezes me perco em meus sentimentos, ando dentro de meus pensamentos, e vejo os meus lamentos.     Lembro-me da felicidade... Mas qual...

Filhos...

Um dia a notícia! ... Somos tomado primeiro pelo temor, logo depois sentimos alegria e amor.   O primeiro choro, o primeiro colo e abraço. O sorriso inocente que é o sinal de um forte laço. Materno, paterno, ou simplesmente eterno.   A vida passa, deixamos nossos sonhos e a nossa...
1 | 2 >>